Igreja registra falecimento de 5 padres, entre eles Silvano Surmacz e um amigo da região

 Igreja registra falecimento de 5 padres, entre eles Silvano Surmacz e um amigo da região

O padre André Juliano de Souza, da Paróquia São João Batista de Três Barras, num registro com o amigo Silvano

Além do falecimento do pároco da Catedral Sagrado Coração de Jesus, Silvano Surmacz, na noite desta quarta-feira (24/03), outros três padres faleceram na mesma data e outro no dia anterior. Dois sacerdotes eram da diocese de Apucarana, um de Maringá e outro de Três Barras. Em comum, os cinco tiveram o quadro clínico agravado após infecção com a Covid-19 e não resistiram à doença, vindo a falecerem.

Na noite desta quarta-feira, faleceu o padre André Juliano de Souza, aos 35 anos, da Paróquia São João Batista de Três Barras, sua cidade natal. Após ter sido internado no hospital local, em fevereiro, ele foi transferido para Canoinhas e, no dia 22 março, por necessidade de hemodiálise foi transferido para o Hospital São Vicente de Paulo de Mafra, onde veio a óbito. O sacerdote era amigo pessoal do padre Silvano.

Na terça-feira (23/03), a Arquidiocese de Maringá comunicou a morte do padre Sérgio Meschini Filho, pároco da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, de Maringá, aos 37 anos. Ele estava internado desde 26 de fevereiro, na Santa Casa de Maringá. Nesta quarta-feira (24/04) a diocese de Apucarana confirmou os falecimentos de Francisco Oscar Lenartovicz, 71 anos, e Adriano Francisco Ferreira, 41 anos.

Da mesma forma que o padre Silvano Surmacz, 54 anos, da diocese de União da Vitória que faleceu também nesta quarta-feira (https://portalculturasulfm.com.br/2021/03/padre-silvano-falece-em-decorrencia-do-coronavirus-aos-54-anos/), os dois sacerdotes de Apucarana, Francisco e Adriano, foram vítimas do Coronavírus. Ambos estavam internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Hospital da Providência em Apucarana e vieram a falecer no mesmo dia, Francisco de manhã e Adriano à tarde.

Da redação com informações das dioceses de Caçador, Apucarana e Arquidiocese de Maringá e imagem reprodução redes sociais

Veja também