Cresce percentual de alimentos orgânicos na merenda escolar destinada para alunos da Lapa

 Cresce percentual de alimentos  orgânicos na merenda escolar  destinada para alunos da Lapa

A secretaria de Educação da Lapa ampliou a aquisição de alimentos orgânicos para abastecer os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), Centro de Atendimento Especializado e Escolas Municipais. Produtos sem agrotóxicos, conforme a prefeitura, representam 42,5% de tudo que é adquirido para a composição da merenda escolar.

A compra é feita, principalmente, pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) de cooperativas de agricultores familiares, das localidades rurais como Lagoa Gorda, Alves Cardosos ou Colônia Municipal. E passam a compôr a oferta de ingredientes para alimentação.

De acordo com a prefeitura, com base na nutricionista Gina Hammerschmidt – responsável pela alimentação escolar – os principais produtos adquiridos são: alface, acelga, beterraba, aipim, batata doce, batata salsa, tomate, cheiro verde, repolho, brócolis, couve flor, couve manteiga, abobrinha, vagem, pepino, chuchu, morango e feijão.

As vantagens, de acordo com a nutricionista, da aquisição de orgânicos são de oferecer alimentos de maior qualidade, que garantem a segurança nutricional. “Além de estimular a produção de pequenos agricultores familiares através do consumo de alimentos sem agrotóxicos, a diversidade e a variedade oferecida torna o cardápio mais atrativo aos alunos”, explica.

Na Colônia Municipal os produtores se organizaram em associação e fundaram a Associação Lapeana de Compras e Vendas Comunitárias (ALACOVEC). Claudinei Opolis é um dos associados que considera “uma grande felicidade poder compartilhar, saber que o mesmo alimento que ele consome em sua residência vai para a merenda escolar”.

Com algumas turmas em período integral, a Escola Municipal Abigail Cortes oferece aos alunos café da manhã, almoço e lanche da tarde. No refeitório a alimentação é preparada pela equipe a partir de um cardápio pré-elaborado. A professora Franciele Trentin, do 4º ano conta que ao realizar uma atividade de produção textual, tendo a escola como tema, a maioria dos alunos optaram por enaltecer a qualidade da merenda.

Os alunos dela aprovam a alimentação servida na Escola “(…) gosto bastante da comida, repito todos os dias (…) a minha preferida é arroz e strogonoff (…) parabéns merendeiras pela comida que fazem todos os dias para nós”, aponta um destes trabalhos.

“A inclusão da alimentação orgânica nas crianças é muito boa. Ficamos muito satisfeitas em ver os rostinhos das crianças, elas comem com vontade. Os produtos que recebemos é de boa aceitação além de nutritivos”, explica Jocelia Rodrigues Piovesan, cozinheira do CMEI Lia Campanholo, no Conjunto Pousada do Sol.

A cozinheira relata que as refeições são sugeridas pela equipe de nutrição e no final da tarde é servido normalmente sopa de legumes, polenta com frango ou arroz colorido. Jocelia destaca, ainda, que a partir dos alimentos recebidos “é só colocar o amor da gente que é garantida a satisfação das crianças”.

O total de recursos enviados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para a compra de produtos agrícolas em 2018 foi de R$ 567 mil reais. Deste montante, R$ 239 mil foram investidos em produtos orgânicos, índice bem acima dos 30% recomendados pelo Ministério da Educação.

Além do recurso do Governo Federal, a prefeitura da Lapa investiu, em 2018, mais R$ 1,2 milhões de reais para a aquisição de outros alimentos adicionais como carne, embutidos, frutas, leites, sucos, pães, entre outros.

Gina Hammerschmidt
explica que o incremento realizado pelo município “visa atender as necessidades de uma alimentação cada vez melhor para nossos alunos. Criança bem alimentada aprende mais”.

Da redação com assessoria da prefeitura da Lapa. Foto: assessoria de comunicação da prefeitura da Lapa

Veja também

Leave a Reply