Adolescentes de hoje poderão ter perda auditiva precoce, diz estudo

Os adolescentes de hoje serão adultos com qualidade de vida mais restritiva do que qualquer outra geração, alerta Tanit Ganz Sanchez, professora de otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP) que coordenou um estudo sobre a prevalência e causas de zumbido nos ouvidos em adolescentes de classe média/alta. Segundo a pesquisa, há uma prevalência alarmante de zumbido em adolescentes, o que representa um primeiro sinal de alerta de risco para desenvolver perda de audição.

“Considerando que o zumbido é um sinal de fragilidade auditiva, que a vida moderna está progressivamente mais ruidosa, que os adolescentes escolhem atividades de lazer relacionadas a ruído e que o ruído lesa os ouvidos de modo cumulativo, certamente é de se esperar que a quantidade de perda auditiva dessa geração seja bem maior, comprometendo suas vidas profissionais, familiar e social bem antes da terceira idade”, esclarece Tanit.

A pesquisa foi realizada com 170 adolescentes, de 12 a 17 anos, de uma escola particular de São Paulo. Em questionário, 54,7% dos entrevistados confirmaram ter ou já ter tido zumbido nos últimos 12 meses. Para Tanit, a porcentagem surpreendeu, já que a expectativa era de um resultado semelhante aos 37% revelados em um estudo realizado com crianças em 2007.

O que mais chamou a atenção da pesquisadora é que os adolescentes com zumbido não são necessariamente aqueles que vão mais vezes a locais barulhentos ou ficam mais tempo expostos ao barulho. “Para nossa surpresa, os adolescentes com e sem zumbido vão com a mesma frequência, ficam tempo parecido e têm audição semelhante. Portanto, a real diferença entre eles é que os ouvidos dos adolescentes com zumbido são mais vulneráveis à mesma exposição ao ruído (baladas, shows ou fones de ouvido) e, por isso, eles adquirem zumbido antes dos demais adolescentes”, esclarece a pesquisadora.

Apesar de a vulnerabilidade ao ruído ser uma das principais causas de zumbido, alguns cuidados devem ser observados para evitar a perda auditiva.Tanit recomenda: adotar uma alimentação fracionada, ou seja, comer de 4 a 6 vezes por dia, evitando consumo frequente de doces, gordura e cafeína; em baladas, usar protetor de ouvido e fazer 10 minutos de intervalo a cada hora de exposição; e quando fizer uso de fones de ouvido evitar ultrapassar a metade do volume de cada aparelho e evitar uso por mais de 2 horas seguidas.

Tratar o zumbido precocemente pode ser muito mais produtivo do que depois de anos com o problema, além de evitar a cronicidade. Por isso, é muito importante que os adolescentes saibam que o barulhinho nos ouvidos após a balada não é normal e sim um indício de vulnerabilidade auditiva. Mesmo que não seja um incômodo para eles, o zumbido deve ser tratado precocemente para evitar a perda de audição por volta dos 40 anos.

Matéria: Agência Nacional

Foto: Agência Nacional

Veja também

Leave a Reply