Polêmicas das balsas: prefeituras esclarecem situação e pontuam o papel neste trabalho de transporte

 Polêmicas das balsas: prefeituras  esclarecem situação e pontuam o papel neste trabalho de transporte

Na semana passada ouvintes questionam o funcionamento da balsa do Mato Queimado, em São João do Triunfo, ligação com o município da Lapa. Cidadãos entraram em contato dizendo que existem até balseiros treinados, mas a ausência de documentação deixa o povo à mercê de transporte na travessia do Rio Iguaçu, inclusive se arriscando com pequenos botes.

A reportagem do Portal e Rádio Cultura Sul FM buscou contato com as duas prefeituras visando entender e esclarecer fatos relacionados a este transporte fluvial. Até porque moradores que necessitam da balsa carecem de fazer a travessia, inclusive, para visitar parentes e transporte a safra. No caso, a redação recebeu foto de fardos de fumo sobre um bote.

Há um risco em transporte de pequenas embarcações – funcionamento da balsa é fundamental para a região

As informações apuradas dão conta do risco eminente e necessidade de soluções efetivas, situação que chegou ao deputado estadual da região, Emerson Bacil (PSL), buscando apoio. Por meio de nota oficial, a prefeitura de São João do Triunfo destacou a importância de duas balsas que ligam o município com a Lapa: Mato Queimado e Vila Palmira.

Ambas fazem a travessia sobre o Rio Iguaçu e, conforme o município, existe um acordo que coloca a responsabilidade da manutenção e operação da balsa de Mato Queimado – divisa das comunidades de Canoeiro, Água Azul, Palmital, Carqueja e arredores – é da prefeitura da Lapa. Ao passo que, a balsa de Vila Palmira fica à cargo de São João do Triunfo.

Esta fica na divisa com a comunidade de Floresta (pertencente à Lapa), sendo de responsabilidade da prefeitura triunfense. Inclusive, conforme a nota, foi investido mais de R$ 100 mil para reformar e adequar esta balsa, deixando o meio de transporte de acordo com as exigências legais da Marinha do Brasil para garantir a operação com  segurança aos usuários.

Por ser a balsa de Mato Queimado, de responsabilidade da Lapa, a prefeitura de São João do Triunfo informou que notificou a cidade vizinha, tendo em vista a responsabilidade lapeana sobre a mesma, tendo em vista uma solução. A embarcação está fora da água, necessitando de reformas, e sem autorização e vistoria da Marinha do Brasil para operar, de acordo com a nota.

A não operação da balsa do Mato Queimado prejudica o trânsito entre a comunidade e as localidades lapeanas da divisa. A redação recebeu o retorno da prefeitura da Lapa sobre o assunto. Na nota, a administração citou que a balsa denominada João Azambuja foi retirada do Rio Iguaçu por determinação da Capitania dos Portos e aguarda vistoria técnica da Marinha.

Somente após este laudo é que será possível saber as reais necessidades e planejar o que pode ser feito, bem como prever o retorno da operação do transporte fluvial novamente. Além disso, a prefeitura da Lapa informa que não tem profissional balseiro, em seu quadro profissional de servidores. Situação que precisa ser avaliada após a recolocação em funcionamento.

Visando evitar riscos de naufrágio e demais acidentes, com pequenas embarcações nessa travessia, a orientação da Lapa é que os usuários utilizem, como rota alternativa, a balsa da Vila Palmira. Por sua vez, o deputado Emerson Bacil disse que vai colocar seu gabinete à disposição para auxiliar nestas tratativas, visando a solução mais rápida possível.

Da redação com informações via nota oficial das duas prefeitura e foto recebida via Whatsapp

Veja também

Leave a Reply