Governo definem a canalização do tráfego nas praças de pedágio, com final de contrato

 Governo definem a canalização do tráfego nas praças de pedágio, com final de contrato

As informações divulgadas dão conta de que cada praça deverá ser adaptada para garantir a passagem dos veículos sem gerar congestionamentos e com segurança. Será feito o bloqueio das cancelas que não serão mais utilizadas, retirada de equipamento nas passagens e instalação de ampla sinalização informando e orientando os usuários.

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) se reuniu nesta semana com representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Polícia Rodoviária Federal e Polícia Rodoviária Estadual (PRE) para discutir os planos de canalização do tráfego, com o fim dos contratos do Anel de Integração.

“O governo estadual e o governo federal estão alinhados nesta questão, de grande importância para garantir a fluidez do tráfego de veículos e, principalmente, para preservar a segurança dos usuários nesta transição. Não vamos medir esforços para garantir que a canalização do tráfego seja realizada de modo tranquilo e ordenado”, afirmou o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti.

Os contratos da Econorte, Viapar e Ecocataratas encerram às 23h59min do dia 26 de novembro, enquanto os contratos da Caminhos do Paraná, Rodonorte e Ecovia terminam no dia seguinte, às 23h59min do dia 27 de novembro. A partir de 28 de novembro não haverá qualquer cobrança nas rodovias do Anel de Integração.

Em 1996 foram firmados convênios de delegação para exploração de rodovias federais entre o Governo do Paraná e o governo federal, abrindo espaço para a licitação e assinatura dos contratos de concessões em 1997, divididos em seis lotes e com prazo de execução de 24 anos. Os mesmos foram modificados ao longo dos anos, com termos aditivos assinados em 1998, 2000, 2002, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018.

Atualmente 2.505,2 quilômetros de rodovias federais e estaduais compõem o Anel de Integração, que será encerrado no final deste mês. O novo programa de concessões rodoviárias está sendo elaborado pelo governo federal, devendo ser lançado em 2022. Até a assinatura dos novos contratos o pedágio não será cobrado.

Da redação com informações da AEN e foto DER

Veja também