Em defesa da mulher, botão do pânico começa a funcionar na próxima semana em União da Vitória

 Em defesa da mulher, botão do pânico começa a funcionar na próxima semana em União da Vitória

O botão do pânico é uma ferramenta que ajudará na segurança das mulheres vítimas de violência doméstica, o ato simbólico de lançamento do botão foi na tarde de sexta-feira (25/06), em União da Vitória.A ferramenta que estará disponível para a segurança das mulheres vítimas de violência doméstica estará em funcionamento a partir de terça-feira (29/06).

O lançamento aconteceu na sede do Escritório Regional da Justiça, Família e Trabalho (SEJUF) e contou com a presença de várias autoridades, além das soldados QPMG1 Eliane Cristina de Matos e QPMG1 Denise Cenci, que são responsáveis pela Patrulha Maria da Penha.

O botão funciona por meio do APP 190 PR, já utilizado na abertura de ocorrências e serve como uma forma mais efetiva de acompanhar a vítima, como explicou a Tenente Danderfer, “Nós observamos a necessidade desses pós atendimento à mulher vítima de violência doméstica, porque nem todas as mulheres continuavam buscando apoio depois da primeira denúncia”, explicou.

O principal objetivo da Patrulha Maria da Penha é mostrar que a vítima não está sozinha. Acompanhar as vítimas em especial com medida restritiva, observando como está a situação pós-atendimento inicial da Polícia Militar. Toda semana é verificado junto à Delegacia da Mulher de União da Vitória os casos de medida restritiva, novos ou que tiveram alguma atualização e precisam de acompanhamento. Com os dados, a equipe realiza a visita às vítimas. Atualmente a patrulha Maria da Penha atende a 95 casos de violência doméstica.

Como funciona o Botão do Pânico:

Os dados da vítima já são pré-cadastrados. Quando ela estiver em uma situação de violência doméstica, poderá fazer o acionamento com poucos toques da equipe policial militar.

A localização é feita com base na localização do celular. Com o acionamento, o aparelho inicia automaticamente a gravação de áudio do ambiente por 60s.

Para obter esse meio e poder utilizar o botão do pânico, a vítima deve ter medida restritiva pela Lei Maria da Penha.

Para quem já possui a medida, a concessão de acesso à utilização de botão do pânico pode ser feita na Delegacia da Mulher.

Da redação com informações do Portal da Cidade de União da Vitória

Veja também