Paciente falece antes de ser internado, com suspeita de Covid-19, PM é acionada e Hospital explica protocolo adotado

 Paciente falece antes de ser internado, com suspeita de Covid-19, PM é acionada e Hospital explica protocolo adotado

Foto:imagem/ilustrativa

A família de Silvino Chaves, de 55 anos, afirma que deve recorrer à Justiça contra o Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes de São Mateus do Sul. Isso porque, o paciente faleceu antes de ser admitido na casa hospitalar devido ao quadro suspeito de Covid-19. Por conta disso, o Pronto Atendimento (PA) acionou a Polícia Militar (PM), Ministério Público (MP) e a direção convocou a imprensa para esclarecimentos.

A diretoria, que atua de forma voluntária, e direção clínica chamaram os veículos de comunicação e citou diversos problemas relativos ao atendimento, como falta de materiais de trabalho (luvas e máscaras entre outras coisas) e ausência de alinhamento com o PA, sob a responsabilidade da prefeitura. Sobre os internamentos, a direção esclareceu que segue o protocolo estabelecido e reafirma não ter negado atendimento.

Silvino Chaves estava no PA desde às 4h30 de segunda-feira (15/03). Durante o dia houve a tentativa de transferir o paciente para o Hospital Paulo Fortes, mas por ter um quadro suspeito de Covid-19, segundo a direção, precisava do exame negativo fornecido pelo Laboratório Central do Paraná (Lacen). Do contrário, não poderia ser admitido frente ao risco de contaminar outros pacientes internados.

A secretária de Saúde, Marly Perrelli, estava no Cultura Sul Notícias desta terça-feira (16/03). Ela disse que o paciente esteve sendo monitorado no PA, durante a madrugada e noite de segunda-feira. Segundo a gestora da pasta, alguns exames iniciais deram suspeitos para Coronavírus e outro negativo, sendo necessário exame específico para Covid-19. Só assim podendo ser internado.

“Situação muito séria, grave”, disse. “Um óbito dentro do Pronto Atendimento”, lamentou Marly. A secretária frisou que dentro do PA tudo que era possível foi feito, inclusive na tentativa do internamento, mas sem interferir na condução própria do protocolo que o Hospital Paulo Fortes, até para evitar surto de contágio. Disso o contato com PM e Promotoria Pública elencada ao caso, na tentativa de internar Silvino.

Para a PM, no Boletim de Ocorrência feito por volta da meia-noite de segunda-feira e início de terça-feira (16/03), familiares afirmaram que iriam processo o Hospital e Maternidade Paulo Fortes, por conta do ocorrido. Pouco tempo depois, o homem infelizmente não resistiu e entrou em óbito. Disso, a proliferação de comentários e versões que forçaram um pronunciamento público da direção.

Na conversa com a imprensa, as direções administrativa e clínica, colocaram diversos fatos e expuseram vários problemas. Dentre eles financeiros, para manter o Hospital, inclusive com existência de pendências. Ao passo que, também, mencionaram a necessidade de colaboração da sociedade, com doações, para manter o atendimento hospital aos são-mateuenses.

Da redação do Portal Cultura Sul FM

Veja também