Greca coloca Curitiba em lockdown e pede por apoio de todos para cumprirem

 Greca coloca Curitiba em lockdown e pede por apoio de todos para cumprirem

Desde a meia-noite deste sábado (13/03) até, pelo menos, os próximos nove dias (até 21 de março) a capital do Paraná impõe restrições mais severas de funcionamento de serviços e do comércio e áreas onde propiciam a aglomeração de pessoas. O prefeito Rafael Greca, ao lado da 1ª dama Margarita Sansone, anunciou o novo Decreto do município e frisou a saturação dos leitos para tratamento de Covid-19.

O Decreto de nº 565/2021 impõe o fechamento de todos os serviços ditos não essenciais, apenas permanecendo em funcionando “aqueles indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, e que devem ser atendidos, sob pena de colocar em perigo a sobrevivência, a saúde ou a segurança de pessoas e animais, bem como a segurança ou a integridade do patrimônio”, segundo a determinação assinada por Greca.

Ao todo, Curitiba tem 1.031 leitos para internar pacientes com o Coronavírus na Rede Municipal de Saúde, foram as instituições privadas. 566 enfermarias e 465 Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). Deste, 154 leitos de UTI e 240 enfermarias foram abertas na nova escalada do Coronavírus, nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Os locais foram transformados em ‘hospitais de campanha’ e estão cheios.

“O Brasil adoeceu de uma nova cepa que é feroz em transmissão, rápida em se agravar e eficaz em matar – inclusive os jovens. Esse é um esforço imenso para livrar nossa gente desse mal”, argumentou o prefeito em vídeo veiculado em redes sociais. “Eu quero ver Curitiba curada”, frisou Greca. “Para que ninguém morra sem assistências”, disse. “Temos que tomar uma atitude mais drástica”, afirmou sobre a instituição da medida.

Greca citou orientação de conselhos, Ministério Público, Poder Judiciário e secretaria municipal de Saúde. “Pela 1ª vez teremos lockdown”, ressaltou ao declarar que Curitiba entra na chamada bandeira vermelha. “Só vai passar se todo mundo ajudar”, disse por repetidas vezes, pedindo que as pessoas fiquem em casa para que não seja exercida a escolha de quem vai permanecer vivo e quem não terá atendimento disponível.

Ainda, o prefeito colocou a esperança de superação na ampliação da vacinação. A partir da meia-noite estão impedidos: reuniões, eventos que provoquem aglomerações, atividade física, individual ou coletiva, em parques ou academias, comércio de rua, shoppings ou centro comerciais, salões de beleza. Também aulas presenciais em toda rede de ensino, inclusive privada.

Restaurantes e lanchonetes podem atender das 10h às 20h, todos os dias da semana, mas apenas para fazer entrega. Vedado o consumo no local. Panificadoras, padarias e confeitarias de rua: das 6h às 20 h, de segunda a sábado. Aos domingos, funciona das 7 às 18 horas, com proibição de consumo no local, em todos os dias da semana. E o transporte público operação com redução de 50% da lotação.

Lojas de materiais de construção somente para entregas, das 9h às 18h, todos os dias da semana e serviço de call-center, relacionado a serviços essenciais funcionam a partir das 9h, com até 50% da capacidade total de sua operação normal. Inclusive, na bandeira vermelha fica proibida a prática de atividades esportivas, individuais ou coletivas, tanto em parques e locais públicos quanto em locais privados.

Da redação Cultura Sul FM com informações da prefeitura de Curitiba e imagem reprodução do Instagram de Rafael Greca

Veja também