Canoinhas se mobiliza para compra de vacinas Sputnik V com outros municípios

 Canoinhas se mobiliza para compra de vacinas Sputnik V com outros municípios

A prefeitura de Canoinhas anunciou tratativas junto da Associação dos Municípios do Planalto Norte Catarinense (Amplanorte) e da Federação Catarinense de (Fecam) para aquisição da vacina russa Sputnik V. O intuito é acelerar a vacinação e propor instrumentos legais que permitam a aquisição por parte dos gestores municipais, com critérios técnicos e jurídicos para isso.

“Estamos fazendo tudo o que for possível para amenizar o avanço da covid-19 em Canoinhas. Irei buscar a vacina para a nossa gente aonde tiver que ir. Só vamos descansar com todos vacinados”, afirmou o prefeito Beto Passos na manhã de segunda-feira (01/03) durante o ato de assinatura do documento encaminhado à Fecam e Amplanorte. As entidades estão articulando a compra do imunizante junto à indústria farmacêutica.

Beto Passos informou que o município de Canoinhas manifestou interesse em aderir a Carta de Intenção da Amplanorte em relação a adquirir a vacina russa SPUTNIK V. Serão mais de cinquenta mil doses, cujo pagamento deverá ser realizado após o recebimento do insumo. Cada dose deve custar em torno de nove dólares – aproximadamente R$50,00 na conversão do câmbio atual.

A medida visa reforçar o Programa Nacional de Imunização. Atualmente a responsabilidade de aquisição, monitoramento das responsabilidades técnicas e aprovação nos órgãos competentes, com relação à aquisição, armazenamento, transporte e distribuição de imunizantes é do Ministério da Saúde. “Se conseguirmos comprar vamos conseguir ampliar o acesso da população à vacina”, explica o prefeito.

Canoinhas registrou apenas 1603 pessoas até esta segunda-feira. Mesmo assim, as regras sanitárias permanecem. “Usem máscara, não aglomerem, lavem as mãos, usem álcool, fiquem em casa, pois a situação aqui em Canoinhas é grave. Neste final de semana tivemos pacientes esperando vaga de UTI. Aqui em Canoinhas os leitos estão 100% ocupados”, frisa a secretária de saúde, Kátia Oliskowski.

A aquisição da vacina deverá ser amparada pela Fecam e Amplanorte, nas seguintes condições: O Estado deverá ser solidário com Município em relação a absorver possíveis demandas de reações adversas e outras; apresentação da documentação de liberação da Anvisa ou órgão internacional equivalente, para liberação da Vacina para uso.

Ainda, posicionamento oficial do Ministério da Saúde e Governo do Estado de que não terão capacidade operacional de oferecer os insumos imunizantes para o público alvo da campanha de vacina lançada pelo Programa de Nacional de Imunização e a sinalização de quais públicos ficarão de fora desta campanha, ainda é necessário uma carta de liberação de responsabilidades fiscais para a absorção deste público pelos municípios; documento informativo de como serão inseridos nos sistemas de monitoramento e digitação estas vacinas.

Da redação Cultura Sul FM, com informações e foto da prefeitura de Canoinhas

Veja também