Lançamento oficial da campanha da Fraternidade 2021 é na quarta-feira de cinzas

 Lançamento oficial da campanha da Fraternidade 2021 é na quarta-feira de cinzas

“Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”

Na quarta-feira (17/02), A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança oficialmente, a Campanha da Fraternidade de 2021, com o tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”. No texto-base que detalha a iniciativa, a CNBB faz críticas relacionadas aos seguintes temas:

  • “Negação da ciência” durante a pandemia de Covid-19.
  • Atuação do governo federal no combate ao coronavírus.
  • Igrejas que não respeitaram o distanciamento social.
  • A “cultura de violência” contra mulheres, negros, indígenas e pessoas LGBTIQ+.

A campanha da fraternidade é tradicionalmente realizada pela Igreja Católica em parceria com instituições cristãs desde a década de 1960. O texto-base é escrito por membros do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic) e passa pelo aval da direção-geral da CNBB.

“A CFE 2021 quer convidar os cristãos e pessoas de boa vontade a pensarem, avaliarem e identificarem caminhos para a superação das polarizações e das violências que marcam o mundo atual”, afirmou a CNBB em nota. A confederação representa os bispos do país, e funciona como uma espécie de entidade de classe. A adesão à campanha não é obrigatória e depende de cada diocese.

O lançamento do tema ocorre sempre na quarta-feira de cinzas, quando tem início a Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa. O assunto é difundido nas celebrações e programações da comunidade religiosa. Nesse ano o tema está gerando polêmicas, Dom Walter Jorge, Bispo Diocesano, da Diocese de União da Vitória falou sobre as polêmicas em relação ao texto oficial da campanha desse ano.

“Esse ano, foi escolhido pelos Bispos que houvesse mais uma vez um esforço ecumênico na campanha. O Conic é o Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, esse conselho trata do ecumenismo, ele não fala em nome de cada igreja, ele fala em nome de si mesmo. A campanha foi entregue ao Conic, claro que de alguma forma representa as igrejas, mas não oficialmente as doutrinas de cada igreja. É um esforço que o Conic faz de falar do mesmo assunto do ponto de vista de diversas confissões”, explicou Dom Walter Jorge.

Da redação do Portal Cultura Sul

Veja também