Idosos de 90 anos ou mais, de Antônio Olinto, serão vacinados em suas residências

 Idosos de 90 anos ou mais, de Antônio Olinto, serão vacinados em suas residências

No município, conforme a secretária de Saúde, Nelize Wrubleski, a vacina chegará até o idoso com mais de 90 anos, depois acima de 80, na residência. A cobertura dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) é de 100% e todos os cidadãos estão previamente listados pela secretaria por conta deste trabalho preventivo. Assim que concluir a vacina nos profissionais da linha de frente, a equipe seguirá para esta fase da campanha.

Com todos os cuidados relativos aos imunizantes, mantendo a temperatura e a logística recomendada, e com a saúde dos servidores e munícipes. “Nós vamos deslocar uma vacinadora, para que a realização dessa vacinação nas casas”, cita Nelize Wrubleski. Segundo a secretária, com todas as medidas estabelecidas para proteção dos idosos e evitar qualquer tipo de contágio ou disseminação do Coronavírus.

Uso de máscaras e demais utilitários de proteção individual associados ao quesito de aplicar as doses sem oferecer risco nem ao idoso e nem ao vacinador. Por meio do ACS, o município sabe onde mora cada pessoa que está no grupo prioritário. A imunização inicia com pessoas de 90 anos ou mais. “Assim que vamos, aos poucos, recebendo as doses no município”, completa Nelize.

O trabalho segue protocolos de prioridades do Plano Nacional de Imunização (PNI) e as determinações estaduais em vigor. Sem dar prioridade para outros profissionais ou pessoas que não estejam dentro destes critérios legais existentes. “De forma escalonada, de acordo com a idade preconizada pelos informes enviados pelo Ministério da Saúde”, frisa. Com a imunização e seu devido registro de dose aplicada.

Ao concluir esta vacinação em idosos com mais de 90 e depois mais de 80 anos, será analisada a necessidade de, também, vacinar outros acamados ou com mobilidade reduzida em suas próprias casas. Seguido do planejamento de continuar a campanha, estendido às idades acima de 70 e depois de 60 anos ou mais, conforme as doses forem recebidas e, possivelmente, em sistema drive-thru (vacinação dentro do carro).

Da redação com informações da Secretaria de Saúde de Antônio Olinto e foto Agência Brasil

Veja também