Confirmado mais 17 casos de variantes da Covid-19 no Paraná

 Confirmado mais 17 casos de variantes da Covid-19 no Paraná

Nessa sexta-feira (26/02), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), confirmou mais 17 casos de variantes do coronavírus no estado do Paraná. O sequenciamento genômico do vírus foi feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Rio de Janeiro. Destes novos casos, 15 foram identificados como sendo da P1, já circulante no Paraná e dois casos da variante B.1.1.7, identificada no Reino Unido.

Dos casos investigados 14 são de Curitiba, sendo oito mulheres e seis homens com idades que variam de 21 a 76 anos. Destes, 10 internaram em hospitais e quatro não precisaram de atendimento hospitalar. Cinco evoluíram para cura e nove não foram informados.

Sobre a procedência desses pacientes, verificou-se que: cinco são pacientes que vieram do Amazonas, três residem no município de Curitiba e viajaram para Manaus e dois são contatos de pessoas provenientes também de Manaus. Quatro pacientes foram transferidos de Manaus para Curitiba para tratamento da Covid-19.

Um outro caso da variante P1 é residente do município de Ponta Grossa, uma mulher de 87 anos, que teve os primeiros sintomas em 17 de janeiro de 2021, apresentando tosse seca, astenia, adinamia, taquidispnéia, internada em 28 do mesmo mês e vindo a óbito no dia sete de fevereiro 2021.

Ainda houve a confirmação de dois casos da variante B.1.1.7 que são de residentes do município de Maringá, uma mulher de 39 anos e seu filho de quatro anos. Eles não precisaram de internamento e estão curados. Sem histórico de viagem, a investigação epidemiológica identificou contato com uma parente proveniente de Londres no final de dezembro do ano passado. Deste contato mais cinco pessoas da família tiveram Covid-19. Todos os casos permanecem em investigação epidemiológica.

Projeto genômica

 O Laboratório Central do Estado (Lacen/PR) participa de projeto com a Fiocruz/RJ para envio de amostras para sequenciamento das cepas do vírus SARS-CoV-2. São encaminhadas mensalmente 40 amostras representativas de todo estado, além de amostras para investigação de possíveis casos de reinfecção, eventos pós-vacina, pessoas procedentes de regiões que contém novas variantes e casos suspeitos de novas variantes.

As amostras são selecionadas pelo GAL (Gerenciador de Ambiente Laboratorial) e devem cumprir os critérios para o envio de amostras: ter carga viral alta, volume mínimo e tempo do envio de amostra para o Lacen/PR (menor que 72 horas). O envio destas amostras e a devolução dos resultados serão padronizados, a fim de evitar erros, principalmente de cadastro.

Da redação Cultura Sul com informações da Secretária de Saúde do PR

Veja também