Secretária de Saúde citou ações frente à pandemia para Câmara, em Antônio Olinto

 Secretária de Saúde citou ações frente à pandemia para Câmara, em Antônio Olinto

Convidada pelos vereadores, a secretaria municipal de Saúde de Antônio Olinto, Nelize Wrubleski, foi até a Casa de Leis do município, nesta semana, para explicar diversas questões relacionadas à Covid-19. Dentre elas, os trabalhos realizados e o protocolo de vacinação estabelecido pelo Ministério da Saúde com as doses repassadas gradativamente e posterior imunização das pessoas.

Todos os números epidemiológicos são atualizados, com casos em investigação, exame negativos, monitorados, vírus ativo e demais dados; na página oficial da prefeitura. Sobre a dinâmica do recebimento das vacinas, até a devida aplicação, Nelize Wrubleski frisou que a Campanha Nacional de Vacinação contra o Coronavírus segue os parâmetros e protocolos do Ministério da Saúde.

Isso, além do suporte aos Estados, divididos em regionais, e depois a assistência ao município. “Elaboramos o plano de ação, de acordo com a nossa realidade”, explicou. Quanto à alguns questionamentos sobre o número de doses recebidas, a secretária disse que são destinadas exclusivamente aos profissionais da linha de frente. Ou seja, que trabalham na coleta de exames e que mantém contato direto com pacientes sintomáticos.

Não há direcionamento fora do que estabelece o Ministério de Saúde. A quantidade recebida é igual a qualquer outro município de mesma população total, havendo diferença quando a cidade tem instituições como hospital, laboratório, casas de repouso ou asilos, que empregam maior número de profissionais, considerados da linha de frente, pelo protocolo oficial estabelecido.

Outro questionamento foi sobre profissional vacinado que não residem em Antônio Olinto. Nelize esclareceu que a imunização é de responsabilidade do município onde o servidor trabalha e não onde mora. A vacinação segue de acordo com os grupos prioritários e de forma escalonada. Em seguida, a secretária respondeu questionamentos e situações que causavam dúvida nos vereadores.

Por exemplo, os motoristas da área de saúde não são considerados profissionais da linha de frente, embora estejam lotados na secretaria municipal de Saúde. Concordando com os questionamentos sobre o eminente risco de contaminação, cabe a todos tomar as medidas de precaução e cuidado pessoal e com o próximo.

Em Antônio Olinto 1112 idosos receberão a vacina, totalizando 2.224 doses para este grupo, seguindo a mesma estratégia de outras campanhas de vacinações. Os profissionais irão vacinar uma porcentagem do público-alvo (in loco), dentro de uma logística onde todos sejam imunizados, sem privilégio. Além disso, as pessoas com idade inferior à 18 anos não receberão a vacina.

Isso porque não existe eficácia comprovada para essa faixa etária, ressaltando a importância das medidas de prevenção. Inclusive porque há caso, até, de recontaminação do Coronavírus em São Mateus do Sul, o que aumenta a atenção. Para todos os grupos a serem imunizados, cabe aos profissionais de Saúde controle rígido, com datas de vacinação e respeito aos intervalos estabelecidos.

Respondendo ainda sobre as ações do município, a secretária destacou que prevalece as orientações de acordo com o decreto estadual, com distanciamento social, uso de álcool em gel, sanetização de prédios públicos, toque de recolher a partir das 23h e sem aglomerações. Quanto aos profissionais de Educação, eles serão imunizados na fase seguinte. Ressaltando esperança e confiança de que em breve a pandemia se encerra.

Veja também