Rio parou de subir; Defesa Civil está pronta para agir em São Mateus do Sul

 Rio parou de subir; Defesa Civil está pronta para agir em São Mateus do Sul

O nível do Rio Iguaçu em Porto Amazonas, ponto de monitoramento hidrológico da Copel anterior ao de São Mateus do Sul, apresenta queda acentuada no nível. Se na terça-feira (26/01) estava em 2,15m às 23h, na medição da tarde desta quarta-feira (27/01) baixou para 1,88m às 13h. A vazão recuou de 118 para 104 metros cúbicos por segundo (m³s), indicando a redução da quantidade de água no leito.

Em São Mateus do Sul, nesta terça-feira a régua estava em 3,97m com vazão de 337 m³s, desde às 13h. A partir das 3h da madrugada desta quarta-feira o nível iniciou o recuo, baixando para 3,95m com vazão em 333 m³s. A quantidade de água em m³s que passa em Porto Amazonas é 12% menor que foi ontem e, este quantitativo, é 1/3 do que passa no Rio Iguaçu em São Mateus do Sul. Supondo nova baixa nas próximas horas.

De acordo com a prefeitura, a Coordenação da Defesa Civil de São Mateus do Sul se reuniu na manhã de ontem com os representantes do Corpo de Bombeiros: comandante Tenente Maltaca, das secretarias de Assistência Social, Esporte e Agricultura. O objetivo foi definir um Plano de Ação participativo com o objetivo de assegurar às famílias que residem em áreas críticas e risco de alagamento, o apoio no caso para evacuação.

“A população pode ficar tranquila que já está definido a equipe de atuação para dar esse apoio e amparar as famílias que estão nesta situação de risco com um local para abrigo adequado, contando com estrutura de preparação e fornecimento de alimentação, além de manter a privacidade familiar”, afirmou o coordenador de Operações da Defesa Civil, Tiago Kruchelski Huk.

A medida visa tranquilizar as pessoas nestas condições, e familiares, com a disponibilidade de todo o material e estrutura necessária para retiradas e salvamento, caso a enchente atinja moradias. “Além disso, os recursos necessários para remoção dos seus móveis, eletroeletrônicos e utensílios domésticos. Também estarão assegurados em locais amplos e seguros até que a situação se normalize”, cita Tiago.

A prefeitura frisa que a equipe “está atenta e monitorando as regiões críticas do município com as margens do rio Iguaçu na região da Vila Amaral, nas ruas Antônio Bizineli, Amilton Braga e Emílio Prohmann, na região da Usina Velha, nas ruas Roberto Angevitz e Bateias próxima da foz do Rio Taquaral, nas margens do córrego Canoas, na região da Vila Prohmann e Vila Buaski e nas margens do córrego Cachoeira na Vila Bom Jesus”.

Serviço: Qualquer necessidade e/ou emergência decorrente das fortes chuvas pode ser acionado a Defesa Civil através dos telefones 3912-7109 ou 3912-7114 (Telefone fixo da Prefeitura) e 98837-1655 ou 98863-2153 (WhatsApp).

Da redação com informações da prefeitura e monitoramento da Copel

Veja também