9 projetos de União da Vitória estão no relatório do TJ de iniciativas da Agenda 2030 da ONU

 9 projetos de União da Vitória estão no relatório do TJ de iniciativas da Agenda 2030 da ONU

O Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) entregou à Organização das Nações Unidas (ONU) o relatório de Comunicação de Engajamento (COE) 2019/2020. O reconhecimento público incide sobre ideias apresentadas e soluções para problemas encontrados no dia a dia do Poder Judiciário. Fazem parte deste compilado nove projetos da Vara da Família e CEJUSC de União da Vitória.

A grande quantidade de projetos de cidadania originários da Comarca de União da Vitória, nove dentre cerca de 200 presentes no documento, é motivo de orgulho para a equipe, segundo o juiz Carlos Mattioli. O magistrado responde pela Vara da Família e coordena o CEJUSC. O fato de ter um único projeto mencionado, levando em conta mais de 600 juízes atuando em todo Estado do Paraná, já seria de grande valia. Em nosso caso diversos projetos foram reconhecidos pelo Tribunal.

O documento, disponível no site do Pacto Global da ONU, apresenta as ações promovidas pela Corte paranaense que seguem os 10 Princípios da iniciativa e que contribuem com os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). No relatório estão mais de 200 projetos desenvolvidos nos últimos dois anos em diversas áreas: acessibilidade, adoção, atendimento psicológico, aperfeiçoamento da gestão pública, facilitação do acesso à Justiça, métodos alternativos de solução de conflitos, ressocialização, educação, saúde, tecnologia, meio ambiente e combate à violência doméstica.

Fazem parte do relatório: Rede de Ajuda CEJUSC/CORONAVÍRUS (RAC); Amigos do Povo; Combate à Evasão Escolar; Escola de Pais/Mães; Projeto Confiar; Dedica – Olhares para a Infância e Juventude; Pai Presente é Pai Responsável; Projeto Qualidade de Vida e Viva em Paz. “É um reconhecimento público de inovações e soluções para enfrentamento de problemas que surgem no dia a dia”, reforma Carlos Mattioli.

“Mais ainda, num documento tão importante quanto o de relatar para a ONU a importância destes projetos para contribuição no atendimento das demandas da Agenda 2030, para sustentabilidade e desenvolvimento do mundo. Isso nos conforta e nos dá segurança para continuar fazendo este ‘algo a mais’ para as pessoas que tanto precisam”, complementa o juiz.

O Tribunal de Justiça do Paraná aderiu formalmente ao Pacto Global em janeiro de 2019, num incentivo para empresas e organizações alinharem suas estratégias e operações a 10 Princípios Universais nas áreas de Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Anticorrupção. Além disso, o Pacto Global estimula a implementação de ações que contribuam para o enfrentamento dos desafios da sociedade e para o cumprimento da Agenda 2030.

Imagens: TJPR
Texto: Assessoria do CEJUSC, com informações do Tribunal de Justiça.

Veja também