Monsanto é condenada a pagar US$ 2 bilhões por agrotóxico Roundup, à base de glifosato

Esta é a 3ª condenação da empresa nos Estados Unidos. Uso do produto é associado a um tipo de câncer.

0
320
Agrotóxico Roundup, da Monsanto, comprada pela Bayer, é visto em prateleira de varejista próximo a Bruxelas — Foto: Yves Herman/Reuters
Agrotóxico Roundup, da Monsanto, comprada pela Bayer, é visto em prateleira de varejista próximo a Bruxelas — Foto: Yves Herman/Reuters

Um juri dos Estados Unidos condenou nesta segunda-feira (13) a Monsanto, que pertence ao grupo alemão Bayer, a pagar US$ 2 bilhões a um casal de americanos que teve câncer atribuído ao agrotóxico Roundup, informaram os advogados das vítimas.

A indenização de US$ 2 bilhões – US$ 1 bi por cônjuge – se soma a outros US$ 55 milhões concedidos a Alberta e Alva Pilliod por despesas, danos morais e outros. A ação corria em um tribunal de Oakland, no oeste do país.

O Roundup é um produto elaborado à base de glifosato, um polêmico princípio ativo de herbicidas alvo de milhares de ações que correm atualmente nos tribunais dos EUA.

“O juri viu por si mesmo os documentos internos da companhia que demonstravam que, desde o primeiro dia, a Monsanto jamais teve o interesse de averiguar se o Roundup era seguro”, destacou o advogado Brent Wisner.

“No lugar de investir em uma ciência sólida, aplicaram milhões para atacar a ciência que ameaçava sua agenda comercial”.

Em comunicado, a Bayer se disse “decepcionada” com a sentença e anunciou a intenção de recorrer, argumentando que ela diverge da recente conclusão da Agência de Proteção Ambiental americana sobre herbicidas a base de glifosato.

“O consenso entre os principais reguladores de saúde, em todo o mundo, é que os produtos a base de glifosato podem ser manipulados de maneira segura e que o glifosato não é cancerígeno”.

O julgamento dos Pilliod começou no final de março, logo após a Monsanto ser condenada, pelos mesmos motivos, a pagar US$ 80 milhões a um homem de 70 anos vítima de linfoma de Hodgkinatribuído ao uso do Roundup.

Uma vez mais, o juri considerou que a Monsanto deveria ter avisado sobre os possíveis riscos do uso do produto.

Em agosto de 2018, a companhia foi condenada a pagar US$ 289 milhões a um jardineiro vítima do mesmo tipo de câncer, valor reduzido posteriormente por um juiz para US$ 78 milhões.

Da redação com informações do G1.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome