De cada 100 testados, 37 tem caso positivo de Covid-19 confirmado no Brasil

 De cada 100 testados, 37 tem caso positivo de Covid-19 confirmado no Brasil

A informação foi divulgada nesta terça-feira (01/02) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e aponta o aumentou no número de testes RT-PCR positivos para Coronavírus analisados em seus laboratórios. Num comparativo, em dezembro de 2021, a cada 100 testes analisados, apenas três davam positivos, saltando para 37 positivos para o SARS-CoV-2 por cada centena de testagem.

Desde o início da pandemia, as centrais de processamento da Fiocruz processaram 35% de todas as amostras para RT-PCR colhidas no Sistema Único de Saúde (SUS), o que significa mais que um terço de toda a testagem brasileira feita pelo poder público. Sendo analisados pelos laboratórios, consolidados e monitorados, com base em fontes como o Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial do Ministério da Saúde (GAL) e as Centrais de Grande Processamento da Fiocruz, no Rio de Janeiro, Ceará e Paraná.

O levantamento mostra que as três centrais da fundação registraram aumento na quantidade de testes positivos. A Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 baseada no Rio de Janeiro (Unadig-RJ), que processa amostras do próprio estado, do Rio Grande do Sul e de Minas Gerais, saiu de 2% de testes positivos em dezembro, quando foram processados 52 mil exames RT-PCR, para 37% até 24 de janeiro de 2022, com 88 mil amostras analisadas. 

Na unidade do Ceará, onde se analisa amostras do próprio estado, Santa Catarina e São Paulo, o percentual de testes com resultado positivo aumentou de 4%, em um universo de 13 mil testes, para 40%, em 58 mil amostras. Já no Paraná, onde são processadas somente amostras do próprio estado, a positividade subiu de 4% para 35%, enquanto o número de testes processados aumentou de 65 mil, em dezembro, para 120 mil até 24 de janeiro. 

O número de testes realizados estava em uma trajetória de queda no mês de dezembro, mas em janeiro o número cresceu de forma acelerada e representa um aumento de 195% na comparação com a média das oito semanas anteriores. Desde o início da pandemia, as centrais da Fiocruz já processaram mais de 9,5 milhões de exames RT-PCR em apoio ao Ministério da Saúde, atendendo a 23 unidades da federação.

Para a coordenadora-geral da Unadig, Erika de Carvalho, o contexto de confraternizações de fim de ano e relaxamento das medidas de isolamento social após o avanço da vacinação ajudam a explicar o aumento de casos. “Isso fez com que a Ômicron expandisse e contaminasse uma quantidade tão grande de pessoas. Sabemos que ela é uma cepa cujo contágio é mais fácil e isso explica bem os números”, cita a pesquisadora para a Fio Cruz.

Da redação com informações e foto da Agência Brasil

Veja também