Com fim da cobrança de pedágio, bombeiro e SAMU atendem em rodovias

 Com fim da cobrança de pedágio, bombeiro e SAMU atendem em rodovias

Os contratos de pedágio chegaram ao fim e não foram renovados no Paraná, em 14 praças de cobrança e monitoramento feito por concessionárias de cada trecho explorado. Por conta disso, desde a meia-noite de sábado (27/11) até as 8h desta segunda-feira (29/11), coube ao Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) os atendimentos.

27 ocorrências foram registradas nas rodovias no fim de semana no Anel de Integração. Segundo o Governo Estadual, as equipes e a estrutura da Rede de Urgência do Paraná foram reforçadas para atendimento prioritário da malha viária até o início das novas concessões, o que ajudou a manter baixa a média do tempo de resposta a esses acidentes, que foi de 15 minutos.

Segundo o balanço do Corpo de Bombeiros, 36 pessoas ficaram feridas e três morreram nos acidentes. Porém, na maior parte das ocorrências não houve vítimas. Foram três ocorrências da meia-noite até as 8h de sábado, com três pessoas feridas; 11 entre sábado e domingo (28/11), com 28 feridos e um óbito; e até às 8h desta segunda, 18 vítimas feridas e duas mortes.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Manoel Vasco de Figueiredo Júnior, destaca que o número de ocorrências está na média para este período do ano, mas a corporação está monitorando as situações para, caso seja necessário, amplie o efetivo para reforçar o atendimento às rodovias.

“Por enquanto, está tudo dentro da normalidade, mas estamos monitorando a situação para aumentar o efetivo caso seja necessário”, afirma. “Ainda estamos na expectativa com relação à Operação Verão Paraná, que abrange tanto o Interior quanto o Litoral, para entender como será o comportamento dos usuários com o fim da cobrança de pedágio”.

O Governo do Estado ampliou a Rede de Atenção de Urgência que abrange quase 100% do território paranaense e toda a malha do Anel de Integração. Para isso, houve o reforço de 54 ambulâncias, 38 do SAMU e 16 do Integrado de Atendimento ao Trauma de Emergência (Siate), que é operado pelo Corpo de Bombeiros, com 235 profissionais, atuando nas rodovias.

Contudo, mesmo diante desses dados relativamente tranquilos que dão a entender certa normalidade com o fim do pedágio, está imposto sobre os servidores estaduais uma carga de trabalho maior. Até pela ampliação da área de trabalho inclusive da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) incumbida da segurança nas rodovias, agora, com mais locais para tanto.

Da redação com informações e imagem da AEN

Veja também