Júri do acusado de matar Elza Ribeiro Micharski é marcado em São Mateus do Sul

 Júri do acusado de matar Elza Ribeiro Micharski é marcado em São Mateus do Sul

Mesmo com medidas protetivas, por decisão judicial de afastamento do lar e manter distância mínima, Elza Ribeiro Micharski, de 22 anos, foi morta com golpes de barra de ferro na cabeça, em 5 de maio de 2019. Alisson Ferraz Barbosa, de 31 anos, responde pelo crime de feminicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e mediante recurso que impossibilitou defesa da vítima. Ele teria passado com o veículo sobre a vítima.

A motivação do crime teria sido por ciúmes e o acusado passou em seguir a ex-esposa. No domingo, dia 5 de maio de 2019, o homem, conforme o relato do crime, desceu do carro, no bairro Pinheirinho e atacou Elza de posse de uma barra de ferro. Com golpes atingiu a cabeça da vítima e, em seguida, passou com o carro sobre o corpo da mulher. Alisson foi detido e teria confessado o crime para a Polícia, em depoimento.

Após sucessivos adiamentos foi marcado o Tribunal do Júri para o dia 21 de outubro. Em quatro oportunidades, o julgamento foi adiado por causa da pandemia da Covid-19 que impossibilitava sessões presenciais e em outra por indisponibilidade de magistrados na Vara da Comarca. Na época do crime, o casal estava separado por oito meses, após convivência matrimonial de cerca de sete anos.

Alisson teria dito à polícia que foi até a casa de Elza com a intenção de matar a vítima. Ele disse ter matado ela porque “estava com raiva”. Quando foi detido, conforme os policiais, o homem havia confessado ter derrubado Elza, batido com a barra três vezes na cabeça e passado com o carro por duas vezes sobre o corpo da vítima. A mulher chegou a ser socorrida e levada ao Pronto Socorro Municipal, mas não resistiu e faleceu.

Após o crime, a Polícia Militar fez buscas pelo suposto agressor e encontrou Alisson dentro de um carro, próximo à casa de seus pais no Faxinal dos Ilhéus. Ele foi levado para a Delegacia de São Mateus do Sul e prestou depoimento na ocasião. Antes do suposto ataque, o agressor teria ficado aguardando a ex-mulher sair na rua e, segundo as informações, não aceita o fim do relacionamento com Elza.

Da redação com informações da Polícia Civil e de arquivo e foto arquivo/Polícia Civil/Portal Cultura Sul FM

Veja também