Dos 7 casos da variante Delta no Paraná, 3 foram à óbito e 4 seguem em monitoramento

 Dos 7 casos da variante Delta no Paraná, 3 foram à óbito e 4 seguem em monitoramento

Equipes do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde, do Ministério da Saúde, seguem neste domingo (11) com o trabalho de coleta de dados e informações para a investigação sobre a circulação da variante Delta no Paraná.

48 horas após o início da etapa de coleta de dados do inquérito ampliado, a  equipe do Ministério da Saúde e Vigilância emitiu o primeiro informativo com balanço das atividades realizadas até o momento, que envolvem reunião com o secretário de Estado da Saúde Beto Preto, com as equipes de Vigilância da Sesa e dos municípios para detalhamento da situação de cada um dos 7casos confirmados,  além das características de cada cidade onde os casos da variante foram detectados, que são Apucarana, Rolândia, Mandaguari e Francisco Beltrão.

No Paraná, a transmissão encontra-se em investigação.

Dos 7 casos confirmados da variante, 3 foram a óbito e 4 seguem monitoramento clínico.

“O Paraná está atento aos casos com todas as variantes de atenção e por isso o convite ao MS para que nos apoiasse na investigação. O EpiSUS integra o centro global de investigações, o Field Epidemiology Trainning Program (FETP-Brasil), que é um programa mundial especializado em epidemiologia de campo e outras competências de saúde pública, com atuações recentes envolvendo respostas rápidas de situações ligadas à pandemia da Covid19”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

“A importância deste trabalho é para reforçar o rigor do nosso acompanhamento quanto aos dados epidemiológicos para fortalecermos as tomadas de decisões”, disse Beto Preto.

Investigação – Depois do aprofundamento das informações dos casos os investigadores já definiram a metodologia que será aplicada.

As equipes do MS estão atuando em duas frentes, uma em Francisco Beltrão, que investiga o caso da Delta ocorrido no âmbito do município, e outra que está baseada em Londrina, e que investiga os casos confirmados em Apucarana, Mandaguari e Rolândia.

AEN

Veja também