Conta de luz fica 8,97% mais cara para consumidor residencial no Paraná

 Conta de luz fica 8,97% mais cara para consumidor residencial no Paraná

Nesta quinta-feira (24/06), começa a valer a nova tarifa de energia elétrica para os paranaenses. A conta de luz para consumidores residenciais os quais representam 81% dos clientes da COPEL será de 8,97%. Já para consumidores de alta tensão (industrial), o aumento aprovado foi de 9,57%. O reajuste foi anunciado nesta terça-feira (22/06), em Brasília, e passa a vigorar a partir do dia 24.

De acordo com informações, um dos principais motivos deste aumento foi o acionamento de usinas térmicas, grande parte delas movida a gás, as quais são mais caras e impactadas pela variação do dólar. Outro motivo foi a compra de parte da energia de Itaipu, que também é comercializada em dólar. A inflação também foi outro fato que encareceu a conta de luz.

As famílias de baixa renda que consomem até 120 kWh por mês continuam a fazer parte do programa Luz Fraterna e não precisam pagar a conta de luz. No Paraná, 370 mil clientes estão cadastrados na tarifa social e possuem descontos.

Proibição de corte

Neste mês a Aneel também decidiu que vai prorrogar por mais três meses – portanto, até setembro – a proibição de corte de energia por inadimplência para os consumidores de baixa renda. A medida não isenta os consumidores do pagamento pelo serviço de energia elétrica, mas tem como objetivo garantir a continuidade do fornecimento para os que, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), não têm condições de pagar a sua conta.

Terão direito ao benefício famílias inscritas no Cadastro Único, com renda mensal menor ou igual a meio salário mínimo por pessoa, e aquelas com portador de doença que precise de aparelho elétrico para o tratamento, com renda de até três salários mínimos, assim como famílias com integrante que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Veja também