Cidade de Caçador está desde sexta-feira sem energia elétrica, por queda de torres

 Cidade de Caçador está desde sexta-feira sem energia elétrica, por queda de torres

Registro da tarde de segunda-feira que circula nas redes sociais

Os moradores do município, maior cidade do meio oeste de Santa Catarina, convivem com um apagão desde sexta-feira (28/05). Há quatro dias sem energia elétrica, bancos seguem fechados e somente geradores alimentam serviços essenciais e, também, possibilitam que os cidadãos recarreguem seus celulares. A CELESC, empresa catarinense de distribuição, trabalha para o restabelecimento do fornecimento.

Um tornado, entre o final da noite de sexta-feira e madrugada de sábado, seria o responsável pela destruição de torres de transmissão em Campos Novos e Videira. São mais de 80 horas sem energia elétrica em Caçador. Residências, comércios e indústrias estão às escuras, o que levou o prefeito Saulo Sperotto (PSDB) a antecipar o feriado de Corpus Christi de quinta para esta segunda-feira (31/05).

A situação já é mais traumática que em 1998, quando chuvas atingiram a cidade, e deixaram rastros de destruição e transtornos. Entre outras coisas, as pessoas se aglomeram em longas filas para carregar aparelhos celulares e tentar manter a conexão via internet. Empresas que possuem geradores permitem que eles desfrutem de tomadas para recarregamentos de baterias. Outros carregam nos automóveis.

A previsão da CELESC era de retorno para a madrugada desta terça-feira, mas o fornecimento não foi reestabelecido. Outras cidades da região como Matos Costa e Calmon também ficaram sem energia elétrica. Por conta disso, agências bancárias e muitas empresas e comércio seguem fechados. Somente estabelecimentos que possuem geradores conseguem funcionar.

Da redação com informações e foto da CELESC e portais da região

Veja também