Médico é acusado de vender atestado para vacina contra Covid-19, em Ponta Grossa

 Médico é acusado de vender atestado para vacina contra Covid-19, em Ponta Grossa

A acusação foi divulgada por meio de redes sociais e envolveu um profissional de medicina com seu consultório. O rapaz cita que comprou um atestado, pagando por transferência bancária e recebendo por WhatsApp a prescrição médica que lhe permite tomar a vacina contra o Coronavírus, em Ponta Grossa. A história começa quando uma amiga delatou pagamento suspeito.

A manobra, em tese, possibilita a corrupção de furar fila e tirar a vez de quem realmente está em grupo prioritário da imunização. Segundo o denunciante, tudo será formalizado na Justiça por envolver, supostamente, um profissional do meio político. Ao menos, um médico se antecipou em se pronunciar em redes sociais citando ter sido vítima de golpe e ‘enganado’ por relato de paciente para posterior prescrição feita.

Em vídeo divulgado nas redes sociais e aplicativos de mensagens na noite desta terça-feira (25/05), um rapaz afirma ter conseguido comprar o documento na clínica de um profissional. O jovem teria feito isso para comprovar se o relato de uma amiga era coerente. A mulher não tomou a vacina sob a justificativa de necessidade de atualizar um atestado. O profissional indicado cobrou para emitir a prescrição.

O denunciante já teria levado o assunto ao Ministério Público do Paraná (MP-PR), junto das provas, para que seja investigado. De acordo com o rapaz o atestado teria um custo de R$ 150,00, pagos por ele e tendo sido encaminhado por WhatsApp. No caso ele não revelou a identidade e nem a clínica do profissional. Contudo, na outra ponta da história, um médico escreveu ter sido alvo de golpe, nas redes sociais.

O rapaz explica que não teria ‘comprado’ o atestado, ou ao menos pago para a referida clínica, para tomar o imunizante. Até cita que considera tal prática ‘tirar a vez de quem realmente precisa e está em grupo prioritário’. O objetivo do denunciante foi de comprovar se existia algum suposto esquema de venda de atestado para permitir ser vacinado contra Covid-19. Ainda não há posicionamentos oficiais sobre o caso.

Da redação com informações levantadas junto a relatos divulgados em redes sociais e portais de notícias dos Campos Gerais.

Veja também