Governador inaugura seis leitos de UTI exclusivos para Covid-19 em hospital da Lapa

 Governador inaugura seis leitos de UTI exclusivos para Covid-19 em hospital da Lapa

A cidade da Lapa, localizada na Região Metropolitana de Curitiba, passou a integrar o mapa de municípios paranaenses que oferecem vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para pacientes com Covid-19. Nesta quarta-feira (14), seis leitos de UTI foram entregues pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior no Hospital Regional da Lapa de São Sebastião. Eles se somam a 40 leitos de enfermaria exclusivos Covid-19, 47 leitos de tisiologia e 11 leitos de clínica médica já disponíveis no local, totalizando 104 vagas.

“Esse hospital tem uma estrutura fantástica, mas nunca teve equipamentos robustos o suficiente para atender a população. Neste momento de Covid-19, em que temos que ampliar ao máximo nossas estruturas, a ideia é desenvolver este local para atender 104 pacientes diariamente”, afirmou Ratinho Junior.

A inauguração da primeira UTI da cidade faz parte da integração da unidade ao Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT), instituição de referência no tratamento da Covid-19 no Paraná. Desde dezembro de 2020, diversas melhorias têm sido implementadas na Lapa.

“Depois que passarmos o momento da Covid-19, a gestão do Complexo Hospitalar do Trabalhador, referência em gestão pública no Brasil, vai transformar este local em um hospital regional para atender de 10 a 12 municípios da região”, explicou o governador.

O hospital foi equipado com camas, respiradores, monitores e acessórios disponibilizados pela Secretaria estadual da Saúde e pelo Hospital do Trabalhador. “Fizemos uma avaliação do potencial do hospital para a região e da sua capacidade de atender mais e melhor. Nossa equipe fez um diagnóstico e em 22 de dezembro oficialmente começamos a trabalhar na infraestrutura do hospital, criando a base para abertura de novos leitos, o que concretizamos hoje”, explicou Geci Labres de Souza Junior, diretor do CHT. “Muitos paranaenses vão se beneficiar disso”.

“No pós-Covid, esses leitos migram para outra ala, e traremos ainda mais estrutura do HT para a Lapa: residência médica, clínica médica, clínica cirúrgica, trauma. Tudo para atender os municípios da região. Os últimos 12 meses foram sobre isso: enfrentar a Covid-19 e fazer a diferença na vida das pessoas”, reforçou Beto Preto, secretário estadual de Saúde.

Os recursos investidos na abertura dos leitos são divididos em três frentes: recursos humanos, equipamentos e contratos. A primeira é referente à contratação de médicos, com um custo mensal de R$ 198.520, e de enfermeiros e técnicos servidores, por R$ 60.940 mensais.

Os equipamentos, por sua vez, incluem ventiladores e monitores, que já estavam em estoque, e um aparelho de raio-X digital, remanejado do Hospital do Trabalhador. Os equipamentos têm um valor total de R$ 1.097.402,18. Já os contratos incluem locação do gasômetro e insumos pelo valor mensal de R$ 18.750; e esterilização de óxido de etileno no valor de R$ 26.676/mês.

MELHORIAS  A integração do Hospital São Sebastião ao CHT já proporcionou diversas melhorias ao local. Como o perfil anterior do hospital era de média complexidade, a integração à rede contou inicialmente com a ativação de 40 leitos clínicos exclusivos para pacientes com coronavírus, além da contratação emergencial de serviços médicos e de coordenação de serviços de enfermagem especializados na doença.

Também foi realizado o treinamento de servidores, a manutenção da rede elétrica e a entrega de equipamentos. Entre eles estão uma ambulância e um aparelho de raio-x digital móvel que agiliza exames por imagem, atualmente destinado exclusivamente a pacientes com Covid-19.

Na metade do mês de março foi instalado no hospital um reservatório de oxigênio líquido com capacidade de 4,3 mil metros cúbicos, que assegura o insumo para o atendimento dos seis novos leitos de UTI. “Estamos montando uma linha direta com o Hospital do Trabalhador em Curitiba e isso quer dizer profissionais, conhecimento, investimentos e gestão. Nesses três meses, passamos de 47 para 104 leitos”, reforçou Beto Preto.

HOSPITAL DA LAPA  O Hospital Regional da Lapa de São Sebastião tem um longo histórico relativo ao tratamento de doenças respiratórias. Inaugurado há 93 anos, em 30 de outubro de 1927, foi o primeiro hospital brasileiro construído com recursos públicos para tratar especificamente da tuberculose.

A ideia da instituição, concebida pelo então governador Caetano Munhoz da Rocha, era construir um espaço de referência no tratamento do “mal dos séculos”, inspirado em hospitais suíços. Batizado originalmente como Sanatório São Sebastião, o hospital empresta o nome do santo conhecido como “protetor das pestes”.

Antes da intervenção do CHT, o hospital possuía 36 leitos efetivos para tisiologia (tuberculose) e 11 leitos de clínica cirúrgica. Atualmente, são 47 leitos de tisiologia, 11 leitos de clínica médica, além dos já mencionados 40 leitos clínicos para Covid-19 e os seis novos leitos de UTI, totalizando 104 leitos na instituição.

CHT  Além da instituição, integram o CHT o Hospital do Trabalhador, o Hospital de Reabilitação Ana Carolina Moura Xavier, o Hospital de Infectologia e Retaguarda Clínica Oswaldo Cruz e o Centro de Atendimento Integral ao Fissurado Labiopalatal (Caif).

Desde o início da pandemia, o CHT já atendeu 5.950 vítimas de Covid-19, sendo 15,9% casos de quadro respiratório leves e 84,1% casos moderados ou graves. O complexo tem uma das maiores estruturas hospitalares exclusivas para a doença no Estado: além dos seis novos leitos inaugurados, são 82 UTIs para Covid-19 (atualmente com 100% de ocupação) e 89 leitos clínicos (52% ocupados). A estrutura dispõe, ainda, de 30 leitos de UTI exclusivos para trauma, que também estão 100% ocupados.

LEITOS – Com os novos leitos, o Paraná passa a disponibilizar um total de 4.721 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19 via SUS. Para adultos, são 1.840 leitos de UTI e 2.825 leitos clínicos. Na pediatria, são 22 de UTI e 34 clínicos. Nesta quarta-feira, a ocupação geral dos leitos em todo o Paraná é de 78%. Entre os leitos UTI adulto é de 95%.

PRESENÇAS  Participaram do evento os deputados estaduais Hussein Bakri, Michele Caputo e Emerson Bacil; prefeitos da região; e o diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski.

AEN

 

 

Veja também