Arco e flecha, esporte buscando seu espaço social, educacional e cultural

 Arco e flecha, esporte buscando seu espaço social,  educacional e cultural

Zé dando uma aula rápida de como atirar com Arco e Flecha

Nesta segunda-feira (26/04), o Cultura Sul Notícias teve como entrevistado Demerval Pessin, mais conhecido como Zé Carioca (Zé), que faz um trabalho diferenciado desde 2015 com bambu, voltado a arte do Arco e Flecha. Zé contou como tudo começou, o que fez despertar o interesse por essa arte, sobre o processo de plantar o bambu, colher e trabalhar a madeira, quem pode praticar, se tem idade para iniciar na arquearia e sobre os seus projetos para o futuro educacional, social e cultural do arco e flecha em São Mateus do Sul e para toda região.

Arcos e flechas são produzidas em São Mateus do Sul

Zé comentou que em um momento no ano de 2015, em uma conversa com um francês que estava estudando em Ponta Grossa, veio a ideia de estudar o bambu, com isso, foi formado um grupo de estudo em cima do bambu, sendo que cada pessoa do grupo tinha um interesse em especial. “O meu interesse era juntar todas os tipos genéticos da planta, como um jardim botânico, onde as pessoas pudessem visitar e conhecer, assim como me chamava a atenção o alimento bambu”, contou.

Zé dando uma aula de como atirar

Em uma excursão em Bela Vista do Toldo, ele disse que viu um bambu diferente que lhe chamou a atenção, tanto que fez ele voltar em um segundo momento a cidade para ver de perto a planta que era um madake, (bambu gigante de madeira ou bambu japonês), na hora, Zé contou que lembrou que esse material era o usado para construção de um arco específico feito com essa espécie o arco yumi.

Foto: Cultura Sul FM

Empolgado com a espécie, estudou muito sobre o assunto, entrou em grupos de artesãos, conseguiu contato com pessoas especialistas na arte da arquearia no Brasil e fora do país para estudar todos os fundamentos, e conhecer tudo o que está relacionado a essa arte, e foi desenvolvendo suas habilidades manuais, buscando alcançar seu objetivo, conseguir construir o arco yumi. “Com muito estudo, fazendo, refazendo centenas de vezes, não desisti e hoje, sou o único artesão do Brasil que faz esse arco específico, o yumi”, relatou ele que explicou que o estudo do bambu que o levou a arte do arco e flecha.

Zé explicou que o arco e flecha é um esporte em que os competidores atiram flechas com o auxílio de um arco, com o objetivo de acertar um alvo, e que por milhares de anos essa atividade foi usada na guerra e na caça, e que evidências da utilização do arco e flecha datam para a idade ao redor 20.000 antes de Cristo. Ele explicou ainda que é um esporte familiar. “A partir dos nove anos de idade, já pode começar a praticar, com essa idade a pessoa já tem noções de segurança necessárias nesta arte”, disse Zé Carioca.

Além do esporte, Zé disse que futuramente, com um grupo já formado na cidade, vai buscar a aprovação de um projeto, para um local adequado, dentro das regras da federação e assim conseguir mais adeptos, trabalhando a arquearia em três pilares: educacional, cultural e social.  Para quem ficou interessado nessa arte, um arco e flecha pode ser comprado a partir de R$ 300,00 reais. Quem tiver interesse o Zé Carioca como é popularmente conhecido, deixou um número para contato, fone: 42 8890-9683. A matéria na integra está em Live no Facebook do Portal Cultura Sul FM e no canal do YouTube do Cultura Sul FM.

Zé no Cultura Sul Notícias

Da redação Cultura Sul FM

Veja também