Manifesto é um pedido de socorro para não prorrogar lockdown

 Manifesto é um pedido de socorro para não prorrogar lockdown

 

Mais de 100 pessoas se reuniram de forma ordeira e respeitando as regras de distanciamento em uma manifestação que chamou a atenção na manhã dessa quinta-feira (04/03), na região central de São Mateus do Sul. O ponto de encontro dos empresários e funcionários do comércio local, que participaram da caminhada, foi em frente a rodoviária, e de lá seguiram em silêncio até a prefeitura.

 

Empresária há mais de 20 anos, trabalhando com roupas no município, Ingrid Eliane Hoch Ulbrich, foi uma das organizadoras do manifesto, e na ocasião explanou sua indignação com a real situação que o comércio se encontra. “Nós entendemos que esse decreto é um boicote ao próprio estado, porque desde o momento que você não deixa as pessoas trabalharem você reduz a riquezas e os recursos para serem investidos na saúde do estado”, disse.

 

Ingrid comentou sobre o manifesto silencioso, onde todos foram de roupas pretas em forma de luto, levando cartazes como forma de se ouvir falar.  “Não temos motivos para fazer barulho, pois todos nós estamos perdendo alguma coisa, ficaremos em silêncio, em forma de luto pelas vidas que se foram, e esse é nosso pedido de socorro para que o governador não prorrogue o lockdown, e se prorrogar que seja maleável para que os municípios possam rever e tomar suas próprias decisões”, explicou.

 

Seguindo as regras de distanciamento os participantes do manifesto formaram filas indianas, com distanciamento de um metro e meio, todos usando a máscara. “Nós do comércio sempre respeitamos todas as regras estabelecidas, e agora não seria diferente no nosso manifesto”. Ingrid explicou ainda que o manifesto não teve vínculo com nenhuma entidade. “O movimento surgiu de forma espontânea entre os lojistas sem vínculo com entidades representativas”, contou.

A manifestação foi encerrada em frente a prefeitura, após algumas palavras em agradecimento a todos que participaram, demostrando apoio aos lojistas que querem e precisam voltar a trabalhar. Os comprimentos também foram estendidos a prefeita Fernanda Sardanha, que se fez presente no ato, além de toda imprensa local.

 

Na ocasião a prefeita falou sobre uma reunião realizada ainda na terça-feira (02/03), com deputados que representam a região, entre eles, o deputado Emerson Bacil, Alexandre Curi, prefeito de União da Vitória Bachir Abbas, e o presidente da Amsulpar, Rodrigo Rossoni, deputado federal, Sandro Alex, além de representantes da CDL e Associação Comercial de São Mateus do Sul.

 

Fernanda explicou que na reunião foi levado as reivindicações e pedido dos empresários locais, onde foi apresentado a demanda onde o comércio entende que foram liberados alguns trabalhos que tem um fluxo maior e outros não foram liberados, mesmo seguindo sempre todos os protocolos estabelecidos. “Coloco sempre meu comprometimento em relação a saúde e bem estar da população, sempre estarei pronta para ouvir e buscar a melhor solução para todos”, encerrou.

Da redação do Portal Cultura Sul FM

 

 

Veja também