O sistema de saúde de Manaus entrou em colapso e bebes prematuros estão sendo transferidos

 O sistema de saúde de Manaus entrou em colapso e bebes prematuros estão sendo transferidos

divulgação/FAB

Até esta quinta (14), mais de 223 mil pessoas foram infectadas no Amazonas, e mais de 5,9 mil morreram com a doença. Conforme o boletim, há 1.581 pacientes internados com Covid no estado, sendo 518 em leitos de UTI. O Governador de SP, João Doria (PSDB) disse que recebeu pedido de transferência de 60 bebes prematuros, e que eles serão transferidos com urgência.

Com aumento recorde de internações a capital amazonense enfrenta colapso no sistema de saúde, os pacientes estão agonizando por falta de oxigênio, familiares e médicos estão buscando cilindros por conta própria. Ontem (14) o governo estadual iniciou as transferências para outros estados, 235 pacientes seriam transferidos na data de ontem.

Eduardo Pazuello, ministro da saúde reconheceu o colapso na saúde de Manaus, afirmando que a fila em busca de um leito é próxima a 500 pessoas, o governo não tem transporte para enviar os cilindros.

Uma das principais empresas fornecedoras de oxigênio medicinal no estado, é a White Martins, que informou que a demanda quintuplicou nos ultimos 15 dias, na capital amazonense. A empresa disse que informou os governos estadual e federal, no início do mês, sobre a situação.

Bebês

Hoje (15) o governo do Amazonas solicitou ajuda aos outros estados para transferir 60 bebês prematuros por risco de falta de oxigênio. A situação do estado é desesperadora, relatos de pacientes morrendo por asfixia em leitos hospitalares.

João Doria (PSDB), confirmou ter recebido a solicitação do Amazonas e garantiu que irá atender. “Acabo de falar com o nosso secretário da Saúde e São Paulo atenderá integralmente esses 60 bebês. Pedi a ele, ao término da coletiva, para falar com o secretário de Saúde do Amazonas. Nós acolheremos todos os bebês que puderem ser transportados a São Paulo”, afirmou.

O secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, indicou que já havia feito contato com o secretário da Saúde do estado do Amazonas, Marcellus Campelo. “Ele está fazendo um levantamento, porque vários estados, de forma humanitária, estão acolhendo esses bebês”, disse.

Gorinchteyn indicou que o estado também pede a transferência de mulheres grávidas, “gestantes que também foram comprometidas pela covid e que necessitam de assistência”. Serão prontamente, acolhidas aqui em São Paulo”, informou o secretário paulista.

Da redação com informações G1

Veja também