Alerta no Paraná para as mutações mais transmissíveis do coronavírus

 Alerta no Paraná para as mutações mais transmissíveis do coronavírus

Foto: Luiz Costa / SCMS

Autoridades sanitaristas fazem alerta na saúde publica do Paraná, as mutações do coronavírus são preocupantes agora, mais do que nunca, é necessário reforçar todas as medidas preventivas da Covid-19. Isso porque as novas variantes são mais contagiosas, o que pode sobrecarregar ainda mais os hospitais.

A Secretaria Estadual de Saúde (Sea) emitiu uma Nota Orientativa na data de ontem (25) com medidas de prevenção não só da variante da capital do Amazonas, mas também das novas cepas mais transmissíveis detectadas no Reino Unido e África do Sul.

Um cientista da UFPR enfatizou que em Manaus foi justamente o afrouxamento das medidas restritivas da Covid-19 justamente no momento em que surgiu a variante mais contagiosa que fez com que a sistema de saúde colapsasse, com falta não só de leitos, mas também de oxigênio para atendimento dos pacientes. Há apenas um mês após a nova variante foi detectada, e é responsável por quase metade das infecções de Covid-19 em Manaus.

O professor de Bioquimica, Biologia Molecular e chefe da Comissão de Enfrentamento e Prevenção à Covid-19 da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Emanuel Maltempi, afirma que é questão de tempo para essa variante não só chegar ao Paraná, como também tem grande possibilidade de se tornar a cepa dominante aqui, como em Manaus. O assunto, inclusive, foi debatido em reunião da comissão nesta segunda-feira. “Essa variante de Manaus vai chegar aqui porque não temos restrições de viagens. E quando chegar, vai se tornar a variante dominante nas infecções por ser mais transmissível”, avalia Maltempi.

“Se antes podia haver 100 pessoas infectadas em uma festa, agora poderemos ter 200 em um evento da mesma proporção, com o mesmo número de pessoas. Mesmo que essas novas cepas ainda não tenham sido comprovadas como mais letais, elas são muito mais transmissíveis. Ou seja, têm capacidade de sobrecarregar rapidamente ainda mais o nosso sistema de saúde”, compara.

Casos suspeitos em Curitiba

Nove pacientes vindos de Manaus semana passada que testaram positivo para Covid-19 semana passada tiveram seus exames enviados à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, para que seja feito o sequenciamento genético que confirme ou descarte a infecção pela nova mutação do coronavírus.

Entre os nove há um casal de Manaus que havia deixado de responder o monitoramento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), mas já voltou a fornecer informações de seu quadro clínico à central da prefeitura. Todos esses pacientes vindos do Amazonas estão isolados, medida que segundo a médica infectologista da SMC é fundamental no tratamento da Covid-19, mas que ganha mais força para para retardar o máximo possível a disseminação da mutação mais transmissível.

Da redação com informações da Gazeta do Povo

Veja também