Bacil defende mudança na Lei para evitar extinção do símbolo do Paraná

 Bacil defende mudança na Lei para evitar extinção do símbolo do Paraná

Na sessão da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP), nesta terça-feira (04/02), o deputado estadual Emerson Bacil (PSL) saiu em defesa do pequeno agricultor e região que representa, mais uma vez. O seu discurso foi por mudança na legislação que permita uso sustentável de Pinheiro Araucária, símbolo do Paraná. Do contrário, com a Lei em vigor, árvores da espécie estão rumando à extinção.

O parlamentar deixou clara a proposta de ouvir a sociedade e discutir com órgãos do setor, e até ambientalistas, uma saída para evitar o desastre total. A legislação que condena atualmente pessoas de bem que preservaram os pinheiros e florestas, impedindo manejo sustentável, precisa ser revista. Este é o entendimento do deputado, sinalizando a bandeira de luta para o ano de 2020.

A região Sul, na defesa do deputado, carece de mais atenção por ser a parte do Paraná que mais preservou. Dados mostram que acima de 60% das áreas são preservadas enquanto outras têm índices muito baixos de florestas. “Não podemos ser penalizados por ter preservado”, disse. “Temos de buscar uma saída para renovar e ampliar as florestas. Não há alternativa para o homem de bem”.

Sobre a devastação e redução de pinheiros, com rumo à extinção, Emerson Bacil aponta a responsável. “A Lei que aqui está é a principal culpada de tudo isso”, defende. Não há possibilidades, dentro da legislação, de manejo e sustentabilidade o que poderia renovar e dar sobrevida aos pinheiros. “Corta um, planta dez. Em pouco tempo teríamos a ampliação das florestas”, frisa.

O deputado salienta de que, pessoas que exploram de forma ilegal seguem da mesma forma. O problema incide, justamente, nos pequenos e pessoas de bem. “Multar e colocar os agricultores aos olhos da Lei, como criminosos”, é o que a legislação tem feito. “Se não mudar a Lei, vai extinguir a espécie símbolo do Paraná”, afirma com base numa tendência natural por conta disso.

Pinheiros pequenos são cortados pela impossibilidade de uso sustentável que é uma de suas propostas. Emerson Bacil observa que os agricultores vão mudar a consciência, na sua maioria, quando da permissão de manejo. “O pinheiro também envelhece, as florestas têm de ser renovadas”, complementa. O deputado defende as florestas. Se estendendo a defesa para quem preservou.

“Deixando sustentável, algo que está na Constituição”, destaca. Disso a sua luta, chamando os demais colegas da ALEP, no sentido de ser inteligente nesta tratativa, pensando no futuro. O entendimento de Emerson Bacil, que cresceu no meio rural e mantém este elo com pequenos agricultores, é de que a questão seja tratada com seriedade, discutida e vá de encontro à sustentabilidade e manejo.

Veja também

Leave a Reply