Atlhetico elimina Grêmio e vai disputar final da Copa do Brasil

 Atlhetico elimina Grêmio e vai disputar final da Copa do Brasil

Num jogo em que parecia ter o Grêmio como finalista certo, por conta do placar de 2×0 no jogo de ida em Porto Alegre, o Atlhetico se mostrou, dessa vez, imortal. O último pênalti, da série de cinco, deu a classificação aos paranaenses com a defesa do goleiro atheticano – Santos. Isso após Nikão e Marco Ruben terem devolvido o placar do 1º jogo da semifinal.

Poucos poderiam acreditar numa vitória tão épica quanto realmente foi. Após perder por 2×0 seria necessário devolver o placar ou vencer por dois gols de diferença, e penalidades, para chegar à final. E foi exatamente isso que o Clube Atlhetico Paranaense alcançou na noite desta quarta-feira (04/09). Num horário nobre que até “cancelou” novela em rede de televisão, às 19h, a torcida fanática ferveu a Arena da Baixada.

Grande público, que jogou com o time e vibrou muito, saiu sorridente do cadeirão de Curitiba e aguarda o adversário: Internacional ou Cruzeiro. O clube gaúcho venceu a primeira, na casa dos mineiros, e pode empatar o 2º jogo para conseguir a vaga na final. A disputa acontece no estádio Beira Rio, em Porto Alegre, nesta quarta-feira.

Os paranaenses, após vencerem por 2×0 com um gol do camisa 11 Nikão e outro de Marco Ruben – o 9, chegaram as penalidades com o mesmo foco sereno do jogo. Na partida, o Grêmio, comandado por Renato Portaluppi e semifinalista da libertadores da América, foi massacrado ao longo dos 90 minutos normais e outros dez de acréscimo, cinco em cada tempo.

A situação dos gaúchos ficou aí da mais compicada quando, após carrinho violento em Léo Cittadini que puxava contragolpe para o furacão, o zagueiro gremista Kannemann foi expulso aos 14 minutos do 2º tempo. O Athetico já vencia por 2×0, Marco Ruben havia ampliado aos três do tempo final e Nikão aberto o placar aos 16 da 1ª etapa.

Parecia que o tricolor gaúcho veio a Curitiba com intenção de ganhar todo tempo possível. O goleiro Paulo Vitor, e todo o time, aproveitaram cada instante para matar tempo e retardar cobranças de bola parada. Mas quem dominou o jogo, também, foi mais eficiente nas cobranças. Um a um os jogadores convertam suas penalidades. Até chegar a 4×4.

O quinto pênalti do Athetico foi convertido por Marco Ruben, mas Pepê do Grêmio não. Santos, o goleiro atheticano, voou no canto esquerdo e desviou a bola para a linha de fundo, colando os paranaenses na final da Copa do Brasil. As finais serão em dois jogos, 11 e 18 de setembro. O mando de campo sairá de sorteio na CBF nesta quinta-feira, às 15h.

Da redação com imagens reprodução Facebook Atlhetico Paranaense Oficial.

Veja também

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *