Missão catarinense veio para São Mateus do Sul conhecer a exploração de xisto na SIX

Faz um tempo que o Planalto Norte catarinense, em especial o município de Papanduva, vive um dilema: exploração de xisto pirobetuminoso. De um lado protestos e preocupação ambiental e de outro o interesse econômico, cabendo ao parlamento, também, posicionamento sobre o assunto. Uma missão da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) esteve em São Mateus do Sul para conhecer a Unidade de Industrialização do Xisto (SIX).

A visita teve a recepção e o apoio logístico, na tratativa com a SIX, do deputado estadual paranaense Emerson Bacil (PSL), na tarde desta quinta-feira (06/06). Por ser de São Mateus do Sul e ter conhecimento e contato com a gerência da Unidade, o parlamentar do Paraná deu suporte à missão catarinense, com os deputados Fabiano da Luz (presidente da Comissão de Economia, Ciências, Tecnologia, Minas e Energia) e Vicente Caropreso.

A Alesc, na noite desta mesma data, promoveu uma Audiência Pública sobre a temática, à noite, em Papanduva. O objetivo da missão, em São Mateus do Sul, foi de obter informações. “Fomos conduzidos pelo deputado Emerson Bacil, na SIX, buscando subsídios para nossa audiência”, explicou Fabiano da Luz, proponente da reunião sobre a temática.

Vicente Caropreso enalteceu o apoio recebido do deputado da região de São Mateus do Sul, no suporte à missão. “Extremamente importante este auxílio aqui”, disse em referência a Emerson Bacil. Ao passo que citou a importância de ver in loco a SIX e o trabalho de exploração do xisto. ” Tiramos muitas boas conclusões”, frisou ao final da visita.

Toda esta base de dados e informações deu respaldo aos dois parlamentares catarinenses na reunião à noite em Papanduva. A referida Audiência Pública reuniu cerca de mil pessoas, conforme dados da Alesc, e decidiu por não permitir a exploração de xisto na cidade e região. Fabiano da Luz deve agir, supostamente, para proibir a extração no estado.

Dentre outras coisas, a proposta de exploração levaria à desapropriação de mais de mil pessoas de suas propriedades. Isso nos municípios de Papanduva, Três Barras, conforme a Associação de Proteção da Bacia do Rio São João e da Bacia do Rio Papanduva (Prorios). Além de uma série de riscos ambientais apontados, nesta Audiência Pública, segundo informações divulgadas pela Alesc.

Da redação com informações e fotos da assessoria do deputado Emerson Bacil e Alesc

Veja também

Leave a Reply