Vacina contra sarampo pode ser aplicada em adultos e crianças; entenda

0

O alerta é da Secretaria de Estado da Saúde diante do surto da doença no Amazonas e Roraima. Casos de sarampo também foram confirmados no Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Rondônia. A vacinação é a única forma de prevenção contra o vírus causador da doença.

Em São Mateus do Sul, não possui casos registrados de Sarampo, será lançada campanha para adultos e crianças, de acordo com o Informe Técnico “Nossa Campanha será para crianças de 12 meses a menores de 5 anos”.

A vacinação contra o sarampo é completada ainda na infância, com a aplicação da vacina tríplice (sarampo, caxumba e rubéola) e tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), aplicadas entre os 12 e 15 meses de vida. Essas vacinas estão incluídas no esquema de vacinação das crianças e podem ser aplicadas nas unidades de saúde pública de todo o Paraná.

A ocorrência de casos importados em países em que a interrupção da transmissão já foi
alcançada constitui um evento que põe em risco o processo de certificação da eliminação da
doença. Isso demonstra a necessidade da manutenção de vigilância epidemiológica ativa e alerta
para a realização das ações preconizadas de identificação, notificação e controle de casos
secundários decorrentes dessas importações, devendo ser realizadas as ações de vigilância
epidemiológica (notificação, investigação, coleta e envio das amostras), de imunização
(bloqueio) e de laboratório (resultados laboratoriais) oportunamente.

 

RISCOS

O sarampo é uma doença altamente contagiosa, sendo transmitida comumente através das secreções respiratórias (fala, tosse, espirro), ou ainda pela transmissão de gotículas com partículas virais presentes no ar, especialmente em ambientes fechados.

Os sinais iniciais da doença incluem febre, tosse, irritação ocular, coriza nasal e mal-estar. Após esses sintomas, aparecem manchas vermelhas no rosto e no corpo. A doença pode levar a várias complicações, incluindo pneumonia, encefalites e meningites. Nos casos mais graves pode ocasionar até a morte do paciente. Em alguns países da África e Ásia, onde não há vacinação sistematizada, a doença está entre as principais causas de morte de crianças de até 5 anos de idade.

VACINA

Como lembra a superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordellini, além da vacina contra o sarampo, há outras que os adolescentes e adultos precisam tomar, como contra hepatite B, tétano, difteria e febre amarela.

 

“Ainda persiste a ideia de que vacina é só para criança, mas isso é um erro. Adolescentes e adultos também podem e devem se imunizar. É por isso que orientamos as pessoas a procurar as unidades de saúde com suas carteirinhas de vacinação, caso a possuam, e verificar se é necessário aplicar alguma vacina”, diz Júlia.

O que tem dentro da vacina?

A vacina oferecida na rede pública é a tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola.

Dentro da vacina, há os três vírus enfraquecidos, albumina e aminoácidos (proteínas), sulfato de neomicina (medicamento usado contra infecções), sorbitol (um tipo de açúcar derivado do álcool) e gelatina.

Algumas vacinas contêm traços de proteína do leite da vaca.

A vacina tem reforço?

Não. Duas doses valem para a vida inteira. Quem já teve a doença também está protegido

A vacina é segura?

Sim, afirmam o Ministério da Saúde e a SBim (Sociedade Brasileira de Imunizações). Ela é feita de vírus atenuado (enfraquecido) e em décadas de imunização no mundo inteiro, apenas casos de alergia a produtos do leite contidos na vacina foram reportados.

Hoje, no entanto, há vacinas sem traços de lactoalbumina (proteína do leite da vaca).

Da Redação Portal Cultura Sul FM, Informações Ministério da Saúde.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here