Se vai um ser humano, fica o legado e a história de vida…

0

O homem não está mais entre nós, mas seu exemplo permanece presente na memória. Olisses Bacil teve, em seu velório e sepultamento nesta quarta-feira (11/04), a demonstração pública e reconhecimento da sociedade pelo que foi ao longo de seus 59 anos abreviados pelo falecimento repentino. Seu falecimento foi confirmado próximo às 22h30 de terça-feira (10/04), após complicações de processo cirúrgico para realização de ponte de safena.

Cartas e flores deixadas pelas crianças em homenagem a Olisses Bacil

Quem foi prestar sua última homenagem ao homem que que ocupou o cargo de vereador por três mandatos e prefeito por duas vezes de São João do Triunfo, também ministro da eucaristia, presidente da Igreja de sua terra natal (Meia Lua), além de patriarca da família da emissora Rádio Cultura Sul FM, sentiu-se num ambiente de valorização do ser humano. Por mais de três décadas, Olisses Bacil levou a alegria do Natal para as crianças. Elas retribuíram, em homenagem no seu velório realizado no Pavilhão da Igreja Matriz de São João do Triunfo.

Por atuar no campo político, saindo do interior do município – localidade da Meia Lua – e chegando ao comando da prefeitura, ele deixou uma marca no setor. Prova disso que prefeitos de toda a região, vereadores e representantes de classe compareceram para sua despedida. Prefeito de Paulo Frontin, Sebastião Elias da Silva Neto, antes mesmo das 7h da manhã, seguindo para Curitiba, passou pelo velório deixando seu conforto e apoio à família Bacil.

Antes mesmo disto, logo que soube do falecimento, ainda no final da noite de terça-feira, o prefeito de São João do Triunfo, Abimael do Valle, sinalizou o decreto de Luto Oficial por três dias. Na quarta-feira, pela manhã, reuniu os funcionários e numa atitude de civismo dispensou as aulas e serviços públicos, parando a cidade para seu último adeus ao ex-prefeito, Olisses Bacil.

O velório teve muita comoção, em clima triste, com muitas pessoas presentes e solidárias: crianças das escolas se vestiram de papai-noel, levando cartinhas e flores para retribuir os 30 anos de presentes, levados por Olisses até os pequenos. Carlos Simões, amigo de longa data, seu irmão e filho estivam presentes e prestaram sua última homenagem interpretando uma música que o amigo do pai adorava. Outro grande amigo pessoal Zeca Machiavelli, ex-prefeito de Antônio Olinto, despediu-se com grande emoção.

O deputado federal Sandro Alex o homenageou na plenária do Congresso Nacional, citando a importância de sua pessoa e do legado que deixou. A divulgação da triste realidade também foi realizada por muitos meios de comunicações. O deputado estadual Hussein Bakri registrou sua presença pelo velório. Por sua vez, Anibelli Neto participou da missa de corpo presente.

Durante esta celebração, quando o filho, Emerson Bacil, perguntou ao público presente “quem havia tido contato nos últimos dias com Olisses ou recebeu uma visita dele”, a grande maioria dos presente à cerimônia ergueu a mão, mostrando a abrangência de sua proximidade com os cidadãos.

Por não reclamar de dor, e nem da vida, alguns comentaram estarem surpresos e espantados, pois viram Olisses Bacil, no dia anterior ao falecimento, circulando pela cidade, conversando com as pessoas e brincado, sem, em nenhum momento, apontar estar doente. A vida pública, para além do homem público no meio do povo diariamente, era o combustível para a alegria de viver e o sentimento que preenchia sua existência.

O apoio à família, durante o velório, veio de muitos moradores de São João de Triunfo, São Mateus do Sul e região que foram até o Pavilhão da Igreja para a última homenagem. Prefeitos Fábio Machiavelli (Antônio Olinto), Edir Havrechaki (Palmeira), Luiz Adyr (São Mateus do Sul), Santin Roveda (União da Vitória), Abimael do Valle (São João do Triunfo), Beto Passos (Canoinhas); os presidentes das Câmaras de Vereadores, Nereu Dal Lago (São Mateus do Sul), e Reinaldo Pelegrino (Antônio Olinto); e demais vereadores, seguiram até o Pavilhão da Igreja Matriz para se despedirem do amigo em comum.

Surpreendido pelo fato inesperado, Olisses Bacil não teve a oportunidade de se despedir, mas seu filho Emerson, em sua memória, pediu perdão a todos. Nesse momento da celebração em sua homenagem, todos aplaudiram em pé. A presença dos seus nove irmãos e demais familiares, somada à dor de uma imensa multidão, se fez presente ao local de despedida.

Também para prestarem solidariedade e condolências à esposa Anastácia Gielinski Bacil, filhos Emerson Gielinski Bacil e Élica Bacil Barbisan, genro Lincoln, nora Nelize, e netos Rafael, Laura e Arthur; sua filha e netos de coração Nanci, Felipe e Luís Antônio. Após a missa de corpo presente, Olisses foi levado por familiares e amigos até o cemitério municipal de São João do Triunfo, onde foi sepultado.

Sem dúvida, Olisses Bacil não estará mais entre as pessoas de corpo presente, mas sua memória, ideias e sonhos seguem vivos. Tanto pelo filho Emerson Bacil e família quanto pelos amigos e colaboradores da equipe Cultura Sul FM. O amor pelas pessoas e o desejo de plantar o bem, em especial para cidadãos menos favorecidos, permanece como referência e imortaliza sua imagem.

Da redação/equipe Portal e Rádio Cultura FM

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here