Memória rejuvenesce em evento de Tropeirismo que lança curso

0

Organizado com muita dedicação pela secretaria de Cultura de Porto União, o 1° Encontro Regional de Tropeirismo marcou os mais jovens ao passo que lembrou fatos que formam a história paranaense e brasileira. Com intuito de manter essa riqueza histórica e cultural, fomentando a produção acadêmica e bibliográfica sobre o assunto, foi lançada a semente da Universidade Livre do Tropeirismo (Unilt).

Entre os dias 4 e 6 de maio, o município abriu espaço para cavalos e cavaleiros. Mais que essa representação, para debater a cultura, demonstrar as permanências e matar saudades. Tropeiros de verdade se encontraram e engrandeceram o evento com a nobre presença de quem é ator dessa história que dá origem a Porto União da Vitória e faz parte da constituição do Paraná.

O presidente da União dos Tropeiros da Lapa, Hilário Rodrigues dos Santos, no encontro relatou que aos oito anos de idade acompanhou uma tropeada, de Palmas para a Lapa, com a condução de 800 cabeças de gado. “Tinha dia que fazia 20 quilômetro,s outro 40. Dependia de organizar os locais de poso e seguir com a tropa até esses lugares”, recorda. Na ocasião ele passou pela região e traz essas memórias peculiares.

Luiz Sérgio Buch foi o idealizador do Encontro, junto da equipe. Ele é gestor da secretaria de Cultura de Porto União e disse que a ideia vinha de tempo. “Um sonho muito antigo”, lembra. Em 2009, ele tentou organizar esta atividade, mas não teve apoio necessário e, posteriormente, se afastou da prefeitura, não seguindo com a proposta.

Mas, na sua avaliação o encontro foi tão positivo que a ideia é novo ato para 2019, numa semana do Tropeirismo em Porto União. Entre eles, a tentativa da passagem do vau, caminho original de travessia de tropas pelo Iguaçu. “Vai depender muito do clima. Hoje, o Rio está dando passagem”, explica. Contudo, a ideia é que, na região, o evento seja itinerante.

Contando um pouco do planejamento para o 1º Encontro, Sérgio Buch disse se utilizar do movimento ‘Aprendiz de Tropeiro’ – ideia de Márcio Assad. Para tanto, um pátio com diversas atrações alusivas aos tropeiros foi organizado. Visando valorizar e ampliar a abrangência disto, o departamento envolveu escolas que compraram a ideia e fizeram trabalhos sobre a temática.

“Estamos a fazer com que nossos jovens saibam como União da Vitória e Porto União iniciou. União do caminho das tropas com o caminho das águas, se iniciou a Vila”, acrescenta. A junção de pequenos comércios e espaço que acomodavam as tropas iniciaram as cidades. Por sua vez, para tropeiros e amantes, o local reviveu trechos da história.

Márcio Assad durante a fala sobre criação da Unilt

O Encontro Regional de Tropeirismo, ainda, teve palestras de alto nível, atividades culturais e gastronômicas, além de tropeadas e missa campeira. O seu ponto alto foi o lançamento da Unilt, proposição do empresário e consultor de turismo Márcio Assad. Ele, atualmente, responde pela diretoria de Turismo da Lapa.

“A Universidade Livre do Tropeirismo é um projeto construído de forma coletiva e colaborativa, cujo objetivo é congregar, catalisar e fomentar ações educativas, culturais, artísticas; de produção de conhecimento e compartilhamento de saberes acadêmicos, populares e ancestrais, numa perspectiva contra-cultural à respeito do tropeirismo”, afirma.

Nesse leque de produção de conhecimento e cultura, a Unilt pretende, segundo ele, promover a reflexão e a troca de ideias, vivências e experiências entre admiradores. Se estendendo para colaboradores de diferentes identidades e campos de atuação (político, artístico, cultural, acadêmico, comunitário). Bem como, outros grupos e indivíduos.

Em um processo contínuo de auto-formação, via curso de Educação à Distância (EAD,) estimular a formulação de análises e métodos que fortaleçam a história do tropeiro, dentro da sua diversidade. Entre outras coisas, a perspectiva é de fazer o tombamento do patrimônio imaterial do tropeirismo.

Monte Castelo/SC, Iperó e Sorocaba/SP são os próximos destinos do ciclo de divulgação do tropeirismo e ensino acadêmico. Para abrigar o pólo universitário, a prefeitura da Lapa, conforme Márcio Assad, destinou um edifício histórico da antiga Rua das Tropas na Lapa. Ali ficará o setor de apoio presencial e administrativo.

O imóvel foi liberado pelo empenho pessoal do prefeito Paulo Furiati, de acordo com o idealizado, e da secretária de Educação, Maria Cristina Ganzert. A aula inaugural da Unilt será no mês de junho, sendo parte das comemorações dos 249 anos da Lapa. Com possibilidade de apresentação de propostas para participação como professores, colaboradores e alunos na instituição, via email: turismo@lapa.pr.gov.br

Da redação com fotos e informações de Márcio Assad

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here