ACIASMS prega otimismo e mostra, em números positivos, geração de empregos em São Mateus do Sul

299

Se o indivíduo for à rua e perguntar: qual cidade da região, de mesmo porte, gerou mais emprego em 2019? As respostas serão: Canoinhas, Irati, Palmeira, Lapa ou União da Vitória, certo? Não, errado. Mesmo afirmando não existir uma política pública municipal de promoção do emprego, a Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de São Mateus do Sul (ACIASMS) mostra rumo diferente.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e mostram São Mateus do Sul em 20º lugar em 2019 no Paraná, no saldo entre demissões e contratações. Positivo em 561. Num comparativo com as cidades acima: Palmeira 1 de saldo positivo e Irati 58. Já União da Vitória registrou saldo de 51 negativo. Ou seja, dez vezes melhor os números em favor dos são-mateuenses. Creditado ao otimismo dos empresários.

Luciano Castilho preside a ACIASMS e afirma não existir, pelo menos nos últimos 12 anos, nenhuma política pública de promoção de emprego, via atração de empresas com incentivos ou algo do gênero. Mas a entidade, pregando positivismo – no programa REAJA São Mateus do Sul – convenceu empresários em colocar o foco nas potencialidades. “Mudando o pensamento”, explica.

Com um grupo de diretores empenhados e pensando para frente, com ideias e objetivos claros de valorizar São Mateus do Sul mesmo num cenário em que não há apoio da prefeitura, por exemplo, a ACIASMS se revigorou. Além da campanha que tocou o brio da classe e visou a valorização positiva, a entidade mobilizou a inserção de novos associados, dando maior força para a instituição.

“Trazer otimismo, bater-papo e mostrar para eles que têm, sim, saídas. Claro que não esperando o Poder Público, você precisa fazer sozinho. Arregaçar as mangas”, esmiúça Luciano Castilho sobre o foco da entidade. O presidente aponta que o período de crise, dos cinco anos anteriores, foi superado e, no novo governo, o mercado tem se mostrado mais atrativo e em expansão.

O resultado desta receita convergiu para melhores resultados. 4.054 admissões e 3493 desligamentos são os dados oficiais do CAGED que resultam no saldo positivo de 561 empregos. Maringá, por exemplo, teve saldo na casa de três mil empregos. Por segmento, em São Mateus do Sul o saldo foi de 187 na indústria, 153 no comércio e 143 na construção civil. 

Para quem está desempregado, Luciano Castilho cita a hipótese de não ter se capacitado para conseguir um posto de trabalho. Por outro lado, há campo de trabalho em que faltam pessoas formadas. “Temos que parabenizar os empresários que acreditaram. Também nossa diretoria que tem se empenhado neste sentido”, destaca. O presidente menciona a importância deste pensamento positivo que, para ele, explica o resultado exponencial na região.

Da redação com informações e fotos via ACIASMS e Luciano Castilho