Estado levará alunos de escolas públicas a intercâmbio internacional

0
781

O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou a lei que criou o Ganhando o Mundo, programa de intercâmbio para estudantes do Ensino Médio dos colégios estaduais que já entra em vigor em 2020. O programa foi proposto pelo Governo do Estado e aprovado pela Assembleia Legislativa. A iniciativa é da Secretaria da Educação e do Esporte.

Inédito no Paraná, o programa permitirá a formação acadêmica de estudantes em instituições de ensino estrangeiras, além da experiência de morar pelo menos seis meses em outro país.

“Mais do que aprender um novo idioma, o programa possibilitará que nossos alunos tenham a oportunidade de viver experiências culturais que vão agregar muito no aprendizado, na visão de mundo e na sua vida como um todo”, afirma Ratinho Junior. “Ter estudantes preparados para o futuro vai nos ajudar a construir um Paraná cada vez mais moderno”.

Para o secretário da Educação e do Esporte, Renato Feder, a vivência em ambiente educativo diferente proporcionará aos estudantes paranaenses crescimento e amadurecimento pessoal, além de contribuir para a formação acadêmica, garantindo melhores oportunidades profissionais no futuro. “Esse programa se soma a diversas iniciativas pedagógicas que têm a missão de melhorar o nível de aprendizado dos estudantes e os ambientes em sala de aula”, acrescenta.

PARA PARTICIPAR – De acordo com a lei, poderão participar do Ganhando o Mundo estudantes que estiverem cursando a 2ª série do Ensino Médio na rede pública e que tiverem no mínimo 15 anos no momento do embarque e no máximo 17 anos e seis meses no retorno ao Brasil. Eles também deverão ter médias de avaliação iguais ou superiores a 7 em todas as disciplinas.

Os estudantes interessados em fazer o intercâmbio deverão, obrigatoriamente, concluir um curso preparatório de língua estrangeira, que será ofertado gratuitamente pela Secretaria da Educação e do Esporte.

Haverá reserva de vagas para alunos de famílias que recebem o Bolsa Família e cada município do Estado terá pelo menos um representante. O estudante que participar do intercâmbio não poderá ser selecionado novamente em outra oportunidade.

Além do curso preparatório, os estudantes selecionados para o intercâmbio receberão uma ajuda de custo em seis parcelas (uma bolsa de apoio financeiro paga anteriormente ao embarque e cinco bolsas de manutenção, a serem pagas no decorrer do programa). Durante o período em que estiverem no exterior, eles ficarão hospedados em casas de famílias ou residências estudantis previamente cadastradas.

O número final de vagas e critérios mais específicos de seleção e classificação ainda serão divulgados por meio de edital publicado pela Secretaria da Educação e do Esporte.

CONVÊNIOS – O programa também prevê que o Governo poderá firmar convênios ou instrumentos congêneres com entidades públicas ou privadas visando à operacionalização e logística do processo de envio e permanência de estudantes no País de destino. O custo anual está estimado em cerca de R$ 24 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome