Num jogo disputado Athetico supera o Internacional por 2×1 e traz taça de campeão para o PR

0
1784

A noite desta quarta-feira (18/09) fica para a história por conta de uma disputa sulista na final da Copa do Brasil. Depois de Grêmio e Criciúma, em 1991, dois times da região Sul foram para o embate final este ano. De um lado o Internacional buscando seu 2º título e de outro o Clube Athetico Paranaense atrás da 1ª conquista. Depois de vencer o jogo de ida, os paranaenses estavam a um empate da taça. E conseguiram. Mais que isso. Venceram por 2×1 e com autoridade em campo.

O início de jogo foi truncado. O Atlhetico devolveu a pouca pressa do time gaúcho do jogo de Curitiba. A partida se manteve lenta com muita bola parada e sem agilidade na reposição por parte dos paranaenses. Aos sete minutos o uruguaio Nico Lópes, jogador colorado, deixou o pé em Léo Pereira e, depois agrediu. Ficou barato, só amarelo.

49.528 torcedores foram ao Beira-Rio e viam a pressão do Internacional. Mas aos 23 minutos boa investida do furacão e gol de Léo Cittadini. O Athetico ampliava a vantagem para, no placar agregado, 2×0. Contudo, logo aos 30 Nico Lópes igualou o placar, após bate rebate na área. Até o final da 1ª etapa o jogo seguiu no mesmo tom, com os gaúchos um pouco melhores.

Depois de terminar o 1º tempo reclamando da arbitragem, os colorados voltaram a campo tentando se impor, mas sem muita eficiência. O Athetico seguia perigoso nos contra-ataques e controlava o jogo. Levando a partida no empate que lhe daria o título. Para o Internacional um gol, e a vitória simples, daria sobrevida: pênaltis. Contudo, do outro lado estava um time tranquilo e equilibrado, os atheticanos ao comando de Tiago Nunes pareciam jogar em casa, ao passo que o Internacional sentia a ausência de D’Alessandro.

Após sete minutos de acréscismo, mudança no placar. O Athetico, um minuto antes de ouvir o apito final, fez o 2º gol com Rony e conquistou, pela primeira vez, a Copa do Brasil para o Paraná. Destaque para Léo Cittadini autor do 1º gol e maestro na condução do jogo e jogada espetacular de Marcelo Cirino para o segundo gol de Rony – outro destaque da partida. Festa da torcida do furacão em pleno Beira Rio, na grande Porto Alegre, aos gritos de… é campeão! Conquista inédita atheticana e paranaense.

Da redação com imagens Athetico oficial (Twitter e Facebook)

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome