Indústria do Paraná é a que mais cresce no Brasil

Com resultados acima da média brasileira, estado lidera ranking nacional de produção industrial

0
18
Indústria do Paraná é a que mais cresce no Brasil

Tem i de indústria em praticamente tudo o que você consome. Alimentos, roupas, eletroeletrônicos, móveis, veículos: o leque de produtos é extenso e coloca o setor industrial entre os mais representativos do país. Em 2018, respondeu por 22% do Produto Interno Bruto, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A cada R$ 1,00 produzido pela indústria, são gerados R$ 2,40 para a economia brasileira – a contribuição total é de R$ 1,3 bilhão. “Nos demais setores, o valor é menor: na agricultura, corresponde a R$ 1,66; em comércio e serviços, é gerado R$ 1,49 para cada real produzido”, observa Evânio Felippe, economista do Sistema Fiep.

A participação do Paraná mostra que o estado tem bons motivos para comemorar. No primeiro trimestre de 2019, o índice de crescimento da produção industrial foi de 7,8%, liderando o ranking nacional, segundo o IBGE. São 50,8 mil estabelecimentos de 37 segmentos – desses, a maior parte é de micro e pequeno porte (95,6%).

A primeira posição não é por acaso. Se boa parte das indústrias ainda é de pequeno porte, não faltam iniciativas para fomentar o crescimento. Com recursos e talento nato para segmentos importantes, como a agroindústria e o automotivo, o estado segue em desenvolvimento graças à soma de trabalho, inovação e união de esforços.

Vocações industriais por região

O Paraná tem 23 arranjos produtivos locais (APL) distribuídos por todas as regiões do estado: metais sanitários, derivados da mandioca, móveis, madeira, bonés, tecnologia da informação, confecções, cal e calcário, louças e porcelanas, software, alumínio, moda, equipamentos e implementos agrícolas, instrumentos médicos e odontológicos.

“Aproveitar a vocação de cada localidade é uma estratégia que tem dado certo”, indica Evânio. “Em 2018, a indústria teve participação de 22,7% no PIB estadual. O valor do PIB do estado ultrapassou R$ 438 bilhões, o que equivale a 6,41% do PIB brasileiro”, diz o economista. As exportações contribuem para alavancar os resultados. Dos 20 bilhões de reais exportados pela indústria paranaense em 2018, R$ 6,9 bilhões vieram da soja, R$ 2,6 bilhões da carne (bovino, aves e suíno) e R$ 3,5 bilhões de materiais de transporte. O setor madeireiro, também na casa dos bilhões, respondeu por R$ 1,2 bi.

Mais do que consolidar o Paraná nos mercados nacional e internacional, a indústria tem papel fundamental para a empregabilidade. Movimenta microeconomias, faz crescer cidades e gera 25% dos empregos do estado.

Paraná acima das expectativas

A indústria brasileira conta com resultados regionais para manter o otimismo, já que nos três primeiros meses de 2019 a produção nacional encolheu 2,2%. Depois do Paraná, aparecem o Rio Grande do Sul (5,5 %) e Santa Catarina (2,8%) no ranking de crescimento da produção. Para a CNI, a expansão da indústria nacional em 2019 deve atingir a casa dos 3%. Segundo o Sistema Fiep, o Paraná deve se aproximar desse índice: a instituição projeta cerca de 2,5% de crescimento no ano.

Os cinco setores que têm melhor desempenho no estado são máquinas e equipamentos (18,5%), derivados do petróleo (14,3%), alimentício (12,6%) e automotivo (11,7%). Os dados são do IBGE e se referem ao aumento da produção física industrial no primeiro trimestre de 2019, comparado ao mesmo período de 2018.

Mês da Indústria

Os resultados são positivos, chegam em boa hora, mas o trabalho não pode parar. Com a proximidade do Dia Nacional da Indústria – celebrado em 25 de maio –, o Sistema Fiep tem levado educação, saúde e cultura às empresas e à sociedade, em diversas localidades do estado. Até o início de junho, unidades móveis do Sesi e do Senai no Paraná oferecem cursos profissionalizantes, atividades de prevenção em Segurança e Saúde no Trabalho, exames médicos e ações culturais, como shows e contação de histórias. Confira a programação:

  • Maringá: 14 a 17 de maio
  • Londrina: 20 a 24 de maio
  • Ponta Grossa: 27 a 31 de maio
  • Curitiba e Região Metropolitana: de 6 a 10 de junho

Matéria do G1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome