Hospital Erasto Gaertner terá ala para pacientes com câncer, construída em parceria com Volkswagen

0
4

O Hospital Erasto Gaertner, no bairro Jardim das Américas, em Curitiba, referência no Brasil no tratamento de pacientes com câncer, terá uma nova ala. O espaço será implantado em parceria entre governo do estado e a Volkswagen – a exemplo do que já acontece na reforma do Colégio Estadual do Paraná. A nova ala, chamada de Unidade de Cuidados Paliativos, será destinada a pacientes com câncer em estágio terminal e familiares.

Pelo convênio assinado quarta-feira (8), a fabricante de carros alemã vai investir R$ 3,1 milhões no hospital como contrapartida de incentivos fiscais concedidos pelo governo estadual em 2018. A previsão é de que a nova ala esteja pronta até o fim do ano, em dezembro, na comemoração dos 47 anos do Hospital Erasto Gartner. Serão 26 leitos humanizados para atender até 700 pacientes. A área terá mil metros quadrados onde hoje fica o setor administrativo, do outro lado da Linha Verde.

Prefeitura propõe multas por excesso de velocidade em patinetes elétricos em Curitiba
A nova estrutura oferecerá cuidados específicos e amparo psicológico aos pacientes e famílias. Os leitos humanizados terão decoração semelhante à de uma casa, com acomodações para acompanhante e espaços de convivência. A nova unidade permitirá também aumentar o atendimento no centro de tratamento principal do hospital, com a relocação do atual setor paliativo para ala em construção.

Erastinho

Além da nova ala, o Erasto Gartner também está construindo um hospital oncológico infantil, o Erastinho. A obra começou no fim de janeiro e a previsão é de que fique pronta no início de 2020.

O Erastinho será o primeiro hospital para o tratamento do câncer infanto-juvenil no Sul do Brasil. A obra, dentro do terreno do próprio hospital, tem custo de R$ 24 milhões, sendo metade repassado pelo governo do estado e a outra metade arrecada pelo hospital. Por mês, o Erasto Gartner faz cerca de 750 consultas de crianças e adolescentes com câncer, num total aproximado de 9 mil ao ano.

Da redação com informações da Tribuna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Digite seu nome